Rafael Dias

Turismo, um sector fundamental. Autor: Rafael Dias

Há um mês atrás o camarário oliveirense inaugurou o «Camping Car Serra da Estrela» na localidade de Senhor das Almas, uma infra-estrutura necessária para a dinamização daquele espaço, bem como para uma utilização condigna deste mesmo espaço. Estou certo que a referida obra trará movimento e apoiará o pouco comércio local existente naquela localidade, todavia, infelizmente, a concretização deste projecto significa também a primeira aposta sólida e concreta deste executivo num sector tão fundamental para o concelho como é o Turismo em seis anos de gestão.

Curiosamente, o CBS, em mais uma reportagem oportuna, depois de analisar as opiniões dos vários operadores turísticos do nosso concelho diz-nos que estes se mostram preocupados com a fraca dinâmica que a autarquia tem promovido junto do sector em geral, não se labutando, portanto, sob este sector tão importante para qualquer economia local. Funestamente, esta é também a opinião de um copioso número de jovens oliveirenses, algo que é perceptível se atentarmos, por exemplo, no facto de que esta obra é já uma promessa do camarário socialista ainda referente ao seu primeiro mandato, tendo já, portanto, seis anos ou ao estudo do Jornal de Negócios que nos diz que concelhos como Seia, Arganil, Mangualde ou mesmo Nelas estão bem mais acima do medíocre 166º lugar que Oliveira do Hospital ocupa no que toca ao Turismo.

Tal como eu, todos os jovens centristas da instituição que represento não se compadecem com o opróbrio a que este executivo expõe o turismo local, desde logo a voluptuosa Casa Museu D. Maria Emília Vasconcelos Cabral sob forte égide da autarquia, a mesmíssima Casa Museu que muitos dos residentes do concelho não conhecem, ora por falta de uma dinâmica camarária que publicite os muitos locais passíveis de serem visitados pelos turistas ou mesmo de um espaço para prestação de informações dado ao facto que também para muitos oliveirenses e ainda mais turistas a existência ou localização do centro de turismo é uma incógnita ora pela frequência com que o espaço se encontra fechado. Não se entende, por exemplo, o fraco aproveitamento do pitoresco Vale do Alva pertence do nosso município e que muitos oliveirenses visitam no Verão, algo que poucos forasteiros fazem. Para isso, podemos tomar como exemplo a ausência de apoio logístico e financeiro aos parques de campismo por parte das juntas de freguesia como é por exemplo o caso da junta sangianense. O tempo, de facto, urge, mas a alternativa não é certamente esta que está representada pelo partido do punho fechado.

Rafael DiasAutor: Rafael Dias, presidente da Juventude Popular de Oliveira do Hospital

LEIA TAMBÉM

Valorizar os sinais de sofrimento psicológico é o primeiro passo para evitar o suicídio. Autor: Joaquim Cerejeira

Uma pessoa em cada 40 segundos comete suicídio. É esta a estimativa que a Organização …

“Crónicas de Lisboa”: Sinto Saudades do Futuro. Autor: Serafim Marques

Ter saudades do futuro, como assim se a saudade é um sentimento de algo ou …

  • António Lopes

    A mim, apesar de estatutariamente a Fundação ser dirigida por presidente e ex-presidentes da Câmara, de dever ter gestores nomeados pela Câmara,responderam-me que a Câmara não tem nada a ver com as Fundações. Sendo ela que nomeia o presidente da Fundação Aurélio Amaro Dinis e Albino Mendes Silva, em S.Gião, interrogo-me como é que não tem a ver..?Nomeia-se o presidente e não se lhe definem linhas de orientação? Quanto à Fundação Cabral Metelo e seu formidável património físico e cultural,situada “debaixo do nariz” do Presidente da Câmara e vereadores, o que ali se passa, é simplesmente uma vergonha e o espelho da gestão que temos…Só me admira é como ainda não foi transformado o bonito quintal, no tal “campo de treinos”. Deve estar para breve…Valha-nos a crise directiva do FCOH…pode ser que seja a salvação do espaço..! Uma vergonha. Um património destes, transformado em canil…

  • António Lopes

    E dizem “alguns” que por aqui não há democracia. Na coluna de opinião dois PSD um comunista,um “independente” (eu) um CDS..! E se mais não há é só porque não querem…Tem partidos que gostam mais de escrever em órgãos mais “democráticos”…Parabéns e o desejo que escrevam e opinem, com regularidade.