Terça-feira, Março 28, 2017
Início - Sociedade - Um dos suspeitos da morte de um militar e de um civil em Aguiar da Beira foi capturado
Um dos suspeitos da morte de um militar e de um civil em Aguiar da Beira foi capturado

Um dos suspeitos da morte de um militar e de um civil em Aguiar da Beira foi capturado

Um dos dois suspeitos da morte de um militar da GNR e de um civil em Aguiar da Beira já foi capturado, avança a RTP Informação. A polícia havia montado uma caça ao homem depois de dois militares da GNR e dois civis terem sido baleados. Um elemento da GNR e um civil acabaram por morrer. Um dos suspeitos foi detido na zona da Guarda, avança a RTP3. O outro está cercado pelas autoridades na zona de São Pedro do Sul, entre as localidades de Manhouce e Candal.

Este indivíduo já foi identificado pelas autoridades. É natural de Aveiro, foi emigrante na África do Sul e é considerado “perigoso”. O major Pedro Gonçalves, Relações Públicas do Comando Territorial da GNR da Guarda, explicou ao início da tarde aos jornalistas que os dois militares andavam a fazer patrulhamento e “a última vez que deram informação para a sala de situação foi cerca das 03h30”.

Os militares terão sido alvejados depois de terem confrontado os suspeitos. “Viemos a perceber que os suspeitos transportaram um militar para um local próximo, situado a cinco quilómetros. O outro militar ferido foi encontrado no primeiro local na zona industrial de Aguiar da Beira, localidade de Vila Chã”, acrescentou o major Pedro Gonçalves.

A poucos metros da mesma estrada, as autoridades encontraram também dois civis baleados. O homem foi encontrado morto, enquanto a mulher estava em estado grave. Foi transferida para o hospital.

Tudo começou na madrugada de hoje quando, segundo o responsável pelo Comando Territorial da Guarda, dois militares da GNR se cruzaram com dois suspeitos na zona industrial de Aguiar da Beira. Apesar de as primeiras informações terem dado conta de que os militares haviam sido chamados para um assalto, o major Pedro Gonçalves garante que essa “informação não é correcta”.

O encontro entre as forças de segurança e os suspeitos, que se crê serem “dois”, foi “inopinado”, tanto que os militares foram baleados, não tendo a “oportunidade de usarem as próprias armas”. Um dos guardas foi então abandonado no local, enquanto o outro foi colocado na bagageira do carro da GNR que foi roubado pelos suspeitos e abandonado cerca de cinco quilómetros à frente.

Os alarmes na sala de situação da GNR soaram quando foi impossível entrar em contacto com os militares, tendo sido então enviada uma patrulha para o local. A vítima mortal, a que foi levada na bagageira, tinha 29 anos. Já o ferido grave, que está a “lutar pela vida” no Hospital de Viseu, tem 48 anos. As duas outras vítimas, dois civis, foram encontradas quando as forças de segurança passavam a pente fino as imediações do local onde foi encontrado o carro da GNR.

O casal, com idades a rondar os 40 e 50 anos, apresentava ferimentos de bala. A mulher encontra-se em estado grave e o homem acabou por morrer no local.