Vereador do PSD criticou presença de viaturas da AZC em torneio de Futsal

“Num momento como este, parece-me de muito mau gosto que, para um encontro de futebol se façam transportar em carros afectos às empresas”, observou o vereador do PSD, na última reunião pública do executivo oliveirense, questionando ainda o presidente José Carlos Alexandrino relativamente aos custos suportados pela Câmara Municipal na promoção do evento.

Apesar de não deixar de concordar com Paulo Rocha – “eu era incapaz de usar um carro da Câmara para ir fazer um jogo”, referiu Alexandrino – o presidente oliveirense preferiu destacar a importância que o evento representou para as unidades turísticas concelhias e para a própria promoção do concelho.

“Tivemos oportunidade de trazer um conjunto de pessoas que fez com que o alojamento turístico estivesse cheio”, sentenciou José Carlos Alexandrino, garantindo que a Câmara Municipal apenas ofereceu um almoço a todas equipas participantes no evento desportivo e disponibilizou um percurso turístico para as pessoas que se deslocaram ao concelho, mas que não participaram nos jogos.

Entendendo que “é destes acontecimentos que o concelho de Oliveira do Hospital deve viver”, o autarca defendeu ainda a necessidade de manter boas relações com a empresa multimunicipal Águas do Zêzere e Côa porque – como frisou – “Oliveira do Hospital ainda não tem a barriga cheia da AZC”.

Para além de destacar a promoção turística dinamizada durante aquele evento desportivo, Alexandrino realçou ainda a semelhante iniciativa realizada no fim-de-semana seguinte, por ocasião do IX Torneio “Serra da Estrela – Cidade de Oliveira do Hospital”. “Penso que assim podemos vender a nossa imagem turística”, considerou.

“Vender o concelho de graça, dispenso”

A aposta turística do município é que parece não ter convencido o vereador do PSD, Mário Alves. “Vender o concelho de graça, dispenso”, observou o ex-presidente da Câmara, considerando que “no período em que vivemos quem quer ver, pode ver, mas a Câmara deve poupar”.

Sobre a presença das viaturas da AZC em Oliveira do Hospital, Mário Alves questionou ainda Alexandrino sobre a sua intenção de levar o assunto à próxima Assembleia-geral da empresa multimunicipal.

“A Câmara Municipal tem capital na empresa e deve colocar esta questão”, rematou.

Visivelmente incomodado com a postura de Alves, o presidente da Câmara insistiu com a necessidade de manter “boas relações” com a AZC e, esclareceu o vereador de que, só a ele diz respeito uma possível intervenção em reunião da Assembleia-geral.

“Se eu vou ou não intervir estou no meu direito. Sou eu que estou mandatado para intervir na AZC”, clarificou Alexandrino, aproveitando ainda para referir que, aquilo que é entendido por Alves como “um gasto”, é por ele compreendido como “um proveito”.

LEIA TAMBÉM

SONAE (Ai – Ai …) Ou em como o “ouro” de uns é o nosso prejuízo!

CDU vê aprovado na Assembleia da União de Freguesias de Ervedal e Vila Franca da Beira voto de protesto contra falta de apoio das autoridades às vítimas dos incêndios

O eleito da CDU na Assembleia de Freguesia da União de Freguesias de Ervedal e …

Nova liderança da JSD de Oliveira do Hospital quer colocar problemas dos jovens na agenda política local

Virgílio Salvador, de 26 anos, foi eleito no domingo presidente da Juventude Social Democrata de …