CM de Oliveira do Hospital devolve IMI a associações e colectividades concelhias

Vila do Bispo venceu título de Município do Ano Portugal 2015, Oliveira do Hospital perde nos prémios regionais para Águeda

O concelho de Vila do Bispo, com o Festival de Observação de Aves e Actividades de Natureza de Sagres, venceu ontem em Braga o prémio Município do Ano Portugal 2015. Este troféu que reconhece as boas práticas do poder local contava também com a participação do Município de Oliveira do Hospital que depois de ver o prémio nacional ir para Vila do Bispo, viu os títulos que distinguiam a Zona Centro rumarem a Águeda e à Lousã.

Depois de 80 candidaturas, o júri nomeou 36 projectos, onde Oliveira do Hospital entrou com o projecto “Oliveira do Hospital, a Friendly Municipality”. Mas sem grande sucesso. Na Zona Centro o concelho de Águeda, com o AgitÁgueda, venceu, e na mesma região, mas na categoria dos municípios com menos de 20 mil habitantes foi o concelho da Lousã, com o Cerdeira Village, a arrecadar a distinção.

O Observatório do Sobreiro e da Cortiça deu o galardão a Coruche na Região Alentejo, enquanto o programa Jovem Autarca, de Santa Maria da Feira, foi o vencedor da Área Metropolitana do Porto.

Na Área Metropolitana de Lisboa o júri premiou Sintra pela aposta no Conselho Estratégico – Instrumento de Melhor Governo Municipal e na categoria das Regiões Autónomas foi escolhida a iniciativa Ribeira Grande: Portas de Entrada para a Natureza do Vulcão do Fogo.

A organização promoverá agora uma conferência, na qual os municípios vencedores apresentam de forma muito detalhada os seus projectos, na “lógica da partilha do conhecimento”.

LEIA TAMBÉM

Cães selvagens estão a atacar e matar ovelhas e vespas a atacar colmeias em Oliveira do Hospital

A Associação Distrital dos Agricultores de Coimbra (ADACO) lançou ontem um apelo ao director regional …

Sociedade Recreativa Penalvense recebe XV Encontro de Tunas

A Sociedade Recreativa Penalvense recebe, este domingo, o XV Encontro de Tunas, em Penalva de …

  • Guerra Junqueiro

    Oliveira do Hospital, um município amigo…
    Amigo de quem? Pelos vistos somente daqueles que abanaram as bandeirinhas.
    Lá tiveram que meter a viola no saco! Engraçado é que depois de tanta farmalha, mais ninguém noticiou esta derrota em que a câmara se meteu.

    Cumprimentos
    Guerra Junqueiro

  • Fashion

    Fashion
    Outra natureza da questâo:
    Entretanto…
    Recorde-se que…antes destas novas modalidades de patrocínios de campanhas -meramente publicitárias- “reinou uma tal de “Allgarve”…com dezenas de milhões às costas…quer dizer, no orçamento de todos nós. E foi um “suxesso”. na opinião deles, a pontos de o tal (des) ministro ter convidado um campeão olímpico de natação, ultra-medalhado, vir nadar na sua piscina….que bem, acompanhado de muitas “botelhas” de champanhe francês! – grade caldeirada – .com fumos de carvão de máquina a vapor, pelo meio.

    Adiante…

    É absolutamente lamentável que um concelho do interior, em tal candidatura, tenha preferido abusar-se da panaceia – sê-lo-á sempre! – do Inglês, em detrimento daquilo que é verdadeiramente seu, a sua raiz, a sua matriz, a sua História , a sua Língua e a sua cultura : a Língua Portuguesa e a História de Portugal, no caso concreto, a verdadeira marca do concelho – e dos concelhos vizinhos! – nesta séria aventura de dar a conhecer o concelho de Oliveira do Hospital ao mundo…(É provável que, à terceira geração, “a jusante”, haja gente, em todo o mundo, com raízes no concelho…e que, dele, ainda se lembra, em Português)
    A seguir-se esta (des)regra, para o próximo ano, ou provável próxima candidatura, propõe-se, nesta linha de “marketing e publicidade”, que a autarquia “embarque” na proposta do cratino ministro da (des)educação vigente e passe a a divulgar as suas candidaturas em “chinês” e que, para as promover, convide o Paulo Futre para as apadrinhar. Nunca se sabe.

    “Estrangeirados”, ficaram, também, a ser conhecidos como aqueles que “não são de lado nenhum”….mais ou menos como os actuais emi/imigrantes.

    Contudo, e para eventuais fantasias de promoção “fashion”, aconselha-se, vivamente, quer a autarcas, quer a publicitários, que leiam, com “olhos de ler”, as “Cartas de Fradique Mendes”, do mestre Eça.

    Previnam-se