Vinhos TAVFER ganham prémios nos Estados Unidos da América

No ano em que assinala os 37 anos de atividade por conta própria, o conhecido empresário Fernando Tavares Pereira, dá por bem empregue o tempo que, desde tenra idade, começou por dedicar à metalomecânica, setor que esteve na génese do grupo Tavfer.

Numa altura em que acaba de ver reconhecida a nível internacional a qualidade dos seus vinhos – venceram prémios nos Estados Unidos da América – Fernando Tavares Pereira acredita que a chave para o sucesso das empresas e do país é o “trabalho”.

“Temos que enfrentar os problemas e dar a cara”, afirmou no sábado o presidente do grupo TAVFER numa conferência promovida pelo seu grupo de comunicação e imagem – tem à frente o conhecido jornalista Fernando Correia – e destinada à apresentação de novos projetos.

Recordando o ano de 1974, data em que se estabeleceu por conta própria, depois de já ter servido combustível, vendido seguros e servido à mesa, Tavares Pereira destacou a sua ambição que o levou a nunca ficar “agarrado” à sua terra.

Ainda que com “espinhos” pelo meio do percurso, o empresário de Touriz sublinha a importância da família e da “família do trabalho”, mas não deixa de denunciar as barreiras encontradas junto de “certos organismos públicos”. “Por vezes, vemo-nos um tanto ou quanto maltratados”, frisou.

Com experiência no domínio da agricultura, Fernando Tavares Pereira defendeu o incentivo por parte das autoridades para essa prática. “Temos boas condições para a floresta”, referiu o empresário, considerando que as autarquias devem desenvolver a floresta e ajudar os empresários.

Para o efeito, e tendo e conta que “a região tem hoje uma floresta ardida, onde apenas há eucalipto e algum pinhal”, defendeu a realização de um projeto florestal que se dedique à folhagem.

Na área dos vinhos, alertou que o sucesso de uma produção passa pela seleção de castas de qualidade.

Responsável por inúmeras transações comerciais, Tavares Pereira voltou a dar eco às suas preocupações em torno dos acessos à região. “Tenho lutado, mas continuamos com as estradas da monarquia”, referiu, considerando que “a região tem sido muito maltratada no âmbito das acessibilidades”.

Lojas da Aldeia abrem brevemente…

Com uma forte presença a nível internacional, o grupo presidido pelo conhecido empresário de Touriz, no concelho de Tábua tem apostado forte na área dos vinhos. O desafio inciduiu, numa primeira fase, na região do Dão, mas já se alargou ao Douro, correspondendo a 160 hectares de vinha plantada.

A Agricultura tem vindo a conquistar o interesse do grupo Tavfer, sedeado em Carregal do Sal, que também tem em curso um projeto que assenta na produção de maçã e pêra. Os 27 hectares de pomar estão situados nos concelhos de Seia, Tábua e Oliveira do Hospital e a produção anual ronda as 1000 toneladas de fruta. Aprovado pelo Quadro de Referência Estratégico Nacional está já um projeto para a criação de uma central fruteira, necessária para a conservação e comercialização direta.

Ainda que com uma expressão mais reduzida, a produção de Azeite é outro dos desafios do grupo Tavfer, sendo já detentor de 170 hectares de olival que correspondem a uma produção anual de 20 mil garrafas.

O grupo esbarra contudo com a inexistência de uma região demarcada de Azeite Serra da Estrela, à semelhança do que acontece com o Queijo Serra da Estrela.

Para escoar os produtos agrícolas, o grupo tem em marcha um novo projeto, designado por “Loja da Aldeia” que, numa primeira fase, se vai traduzir na abertura de seis espaços na região centro, devendo chegar às 10 unidades até ao final de 2011.

O objetivo – garante o consultor do grupo Mário Vicente – é “ proporcionar a comercialização de produtos oriundos da região, produzidos pelo grupo e outros produtores, a preços competitivos”. “Uma forma de responder à crise é proporcionar às pessoas soluções mais económicas e com mais qualidade”, verificou.

Numa conferência, onde Fernando Tavares Pereira se fez acompanhar por amigos, colaboradores e antigas glórias ligadas às várias modalidades do Sporting Clube de Portugal – Carlos Lopes, João Barnabé, Hilário da Conceição, Alfredo Pinheiro, Carlos Pereira e Carlos Seixas – o grupo empresarial que é composto por cerca de 50 empresas vincou a sua presença no Brasil, Cabo Verde, Bulgária, Angola e outros países, em áreas como a construção civil e imobiliária, metalomecânica e inspecções periódicas.

Com 43 centros de inspeção periódica automóvel espalhados pelo país, o grupo de Fernando Tavares Pereira ocupa 25 por cento do setor em Portugal. Em Fortaleza, Brasil, o grupo concluiu a construção de uma torre de 16 andares e prepara-se para dar outra por concluída.

Da biomassa a composto biodegradável para fraldas…

Com experiência na produção de biomassa na unidade localizada em Belmonte, o grupo Tavfer prepara-se para voltar a apostar na área. Estimado em mais de 30 milhões de euros, o novo projeto que vai ser financiado pelo QREN destina-se ao aproveitamento de biomassa vegetal, com a particularidade de, com base numa tecnologia americana, permitir a produção de bio-óleo.

Com mais de meia centena de empresas, o grupo TAVFER prima pela diversificação nas suas áreas de negócio. E a prova disso recai na mais recente aposta de produção de um composto biodegradável para ser usado nas fraldas dos bebés.

Tendo por base uma tecnologia israelita e que assenta em produtos de origem vegetal e animal, o novo composto vai permitir uma mais rápida biodegradação da fralda. O grupo estima que o processo ocorra em 90 dias, contra os 500 anos das fraldas normais. O projeto, que ainda está em fase de desenvolvimento, prevê a abertura de duas unidades fabris, uma das quais se vai localizar no vizinho concelho de Tábua.

Proprietário de quatro unidades hoteleiras – Hotel S. Paulo, Albergaria Senhora do Espinheiro, Hotel Quinta dos Cedros e Hotel Santa Catarina – o grupo presidido por Fernando Tavares Pereira prepara-se para alargar a sua oferta turística. A marca TAVFER vai passar a estar presente no aeroporto de Faro, onde o grupo vai construir um hotel com capacidade para 200 camas.

Na área da saúde, o grupo ganha raízes em Penacova e Fornos de Algodres, onde tem duas unidades de cuidados continuados em funcionamento, consideradas das “melhores em Portugal”. Uma terceira unidade vai também abrir em Cabanas de Viriato, com capacidade para 40 utentes. Nos projetos turísticos e Unidades de Cuidados Continuados estão envolvidos 200 funcionários diretos e 50 diretos.

O grupo estima que o número venha a atingir as três centenas.

LEIA TAMBÉM

Primeiro-ministro vê nas biorefinarias uma “oportunidade” para aproveitar a floresta e elogia trabalho desenvolvido na BLC3

O primeiro-ministro destacou ontem na inauguração do Campus de Tecnologia e Inovação BLC3, em Oliveira do …

António Costa remete construção do IC6 para “quando haja condições financeiras”

O primeiro-ministro não se compromete com uma data para a construção do IC6 entre Tábua …