Vitória avassaladora do PS provoca alteração de fundo no mapa autárquico de Oliveira do Hospital

O PS mais do que duplicou o número de juntas de freguesia que detinha no anterior mandato (seis). Os socialistas saíram das eleições deste domingo com 13 juntas e uniões de freguesia conquistadas, tendo apenas sido derrotados em Travanca de Lagos e Meruge, onde o movimento independente e a CDU foram mais votados. O PSD não conseguiu vencer em nenhuma freguesia.

Pese embora a redução de 21 para 16 juntas / uniões de freguesia, o PS não manifestou nas eleições autárquicas deste domingo qualquer dificuldade em reconquistar as juntas de freguesia onde foi poder no mandato autárquico, chegando mesmo a superar todas as expectativas ao vencer num total de 13 juntas /uniões de freguesia. No Seixo da Beira onde há quatro anos os socialistas tinham alcançado uma grande vitória, Carlos Batista voltou a repetir a proeza, ditando o sufrágio uma nova maioria absoluta para o PS (707), elegendo sete mandatos contra dois do PSD que naquela freguesia se ficou pelos 223 votos, enquanto o CDS apenas colheu 20 votos.

Um feito que também se verificou na União de Freguesias de Ervedal da Beira e Vila Franca da Beira com o PS a conseguir a reeleição de Carlos Maia que colheu 464 votos (cinco mandatos) contra os 322 (três mandatos) de João Dinis da CDU e os 106 votos (um mandato) conseguido por Maria Arlete Costa (PSD).
A não causar surpresa foi também a vitória socialista em Lagares da Beira. Olga Bandeira concorreu aquela Junta em lista única, colhendo 632 votos (nove mandatos).
Entre as grandes vitórias do PS oliveirense está o resultado obtido na freguesia da Bobadela. De tradição social democrata, a freguesia da Bobadela passou para as mãos do socialista Vasco Brantua que somou 240 votos (três mandatos) contra os 196 alcançados pelo social democrata Francisco Marques da Silva ( 3 mandatos).

Digno de registo é também o resultado obtido pelo PS na União de Freguesias de Oliveira do Hospital e S. Paio de Gramaços. A sair de um mandato à frente da freguesia da cidade, Nuno Oliveira mereceu a confiança de 2025 eleitores ( 10 mandatos), ficando muito à frente do resultado obtido por Nuno Amaro do PSD que se ficou pelos 473 votos ( 2 mandatos), bem como de Nuno Alves do CDS (224 votos e 1 mandato) e de António Veloso da CDU ( 51 votos).
À semelhança do que aconteceu na Bobadela, também em Nogueira do Cravo se assistiu a uma forte mudança na tendência de voto, com o eleitorado a votar maioritariamente no projeto socialista de Luís Nina que conseguiu 743 votos ( seis mandatos), contra os 494 obtidos pelo social democrata Rui Fernandes ( 3 mandatos), os 83 somados por Sandra Marques do CDS e os 17 conseguidos por Luís Almeida da CDU.

O ex independente Rui Coelho que nestas eleições foi a votos sob a bandeira do PS foi eleito presidente da União de Freguesia de Penalva de Alva e S. Sebastião da Feira. Rui Coelho foi o cabeça de lista mais votado somando 484 votos ( 6 mandatos), contra os 217 obtidos por António Brito do PSD ( 3 mandatos) e os 31 alcançados por Duarte Lencastre do CDS-PP.
Em S. Gião assistiu-se igualmente a uma mudança da força política no poder. A vestir a camisola do PS, Luciano Correia fez subir o número de juntas conquistadas pelos socialistas colhendo 204 votos ( 5 mandatos) contra os 95 conseguidos pelo centrista Vitor Guttierrez que somou 95 votos (2 mandatos).

Sob a bandeira do PS está também a Junta de Freguesia de Lourosa, com o ex social democrata Américo Figueiredo a reunir as preferências da população e a reconquistar a junta sob a bandeira socialista. Américo Figueiredo somou 256 votos (5 mandatos) não dando qualquer hipótese ao candidato pelo PSD, Abílio Vales, que se ficou pelos 108 votos (2 mandatos).
Para além de continuar a merecer a confiança dos Santaovaienses, Licínio Neves também convenceu em Vila Pouca da Beira, sendo eleito pelo PS para a presidência da União daquelas freguesias com 320 votos ( 4 mandatos). Candidato pelo PSD, Fernando Esculcas conseguiu 199 votos (2 mandatos) e Maria Irene Campos, pelo CDS-PP, ficou-se pelos 25.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPara alçada dos socialistas passou também a Junta de Freguesia de Aldeia das Dez. Até aqui social democrata, aquela freguesia foi conquista por Carlos Castanheira que somou 203 votos ( 4 mandatos), contra os 153 conseguidos pelo social democrata José Gomes de Oliveira (3 mandatos).
Em Alvôco de Várzeas, Agostinho Marques viu-se a braços com uma votação renhida frente à candidata do CDS-PP, Raquel Campos, acabando por conseguir reconquistar a junta para o PS. O socialista colheu 117 votos ( quatro mandatos), contra os 108 conseguidos pela candidata centrista (3mandatos).
Suada foi a vitória conseguida pelo PS em Avô (tradicionalmente PSD), onde Afonso Jorge (130 votos – 3 mandatos) venceu com vantagem de apenas três votos sobre o social democrata José Carlos Martins (127 votos – 2 mandatos). O movimento independente liderado por António da Silva Antunes ficou-se pelos 93 votos (2 mandatos). Um resultado que deverá obrigar a um entendimento entre pelo menos duas das três forças que participaram na eleição, prevendo-se uma possível coligação entre socialistas e independentes.

Vitória socialista foi também a que foi conseguida pelo movimento independente, apoiado pela candidatura de José Carlos Alexandrino,  na União de Freguesias de Lagos da Beira e Lajeosa, com José António Guilherme a convencer o eleitorado de quem recebeu 524 votos (seis mandatos), contra os 327 conseguidos pelo social democrata Nuno Batista (3 mandatos) e os 23 colhidos pelo centrista Rui Tavares.
Em Travanca de Lagos e Meruge, a votação teve sabor amargo para os socialistas. O movimento independente venceu com 267 votos ( 3 mandatos) na freguesia de Travanca, contra os 244 conseguidos por Tomás Pedro, do PS (3 mandatos) e os 203 conseguidos pelo social democrata Fernando Manuel Viegas (3 mandatos). Um resultado que também obrigará a entendimento entre os elementos eleitos. Já em Meruge, a CDU voltou a ser a força mais votada com Aníbal Correia a conseguir 194 votos (4 mandatos), contra os 123 conseguidos pela socialista Sónia Faria ( 3 mandatos) e os 37 votos do social democrata Nuno Leandro Garcia.
Resultados que provocam alterações profundas no mapa autárquico oliveirense que para além de entrar num novo mandato com menos cinco freguesias, surge com a supremacia socialista que reina em 13 freguesias/uniões de freguesia, ficando as restantes três a cargo de independentes (2) e da CDU (1). O PSD não venceu em nenhuma freguesia.

No que à Câmara diz respeito, a novidade recai na maioria avassaladora que foi conseguida pela equipa de José Carlos Alexandrino que lhe permitiu a reeleição para presidente de Câmara, a recondução de José Francisco Rolo e Graça Silva e ainda a eleição de Nuno Ribeiro, João Ramalhete e Teresa Dias. A cabeça de lista pelo PSD, Cristina Oliveira, foi eleita única vereadora da oposição.
Na Assembleia Municipal, o PS reconduz António Lopes e consegue a eleição de 15 deputados. O PSD elege cinco deputados. A novidade recai na eleição de Luís Lagos para a Assembleia recuperando para o CDS-PP assento naquele órgão autárquico.

LEIA TAMBÉM

Incêndio reacende-se na Serra da Malcata, zona do Lince Ibérico

Bebé desaparecido em Tábua foi encontrado morto

O bebé de um mês que estava desaparecido na Quinta da Barroca, concelho de Tábua …

Quatro comboios retidos na Linha da Beira Alta

A circulação ferroviária na Linha da Beira Alta continuava às 12h00 de hoje suspensa, devido …

  • Vasco Ribeiro Brantuas

    Votos de boa sorte a todas as freguesias em especial para a Bobadela onde vou estar na presidência com a minha equipa. continuação de um óptimo trabalho para a comunicação social.