Home - Opinião - 10 mandamentos: Autor: Fernando Roldão 

10 mandamentos: Autor: Fernando Roldão 

Não sou dado a coisas da religião, mas sou cumpridor dos 10 mandamentos, tábua das regras de todos os cristãos ou poderei dizer, de todos os humanistas?

Talvez mais a segunda, pois infelizmente os exemplos que surgem no nosso dia a dia, não são nada abonatórios para aqueles que pregam a tal religião, para além de outras religiões.

Faz o que eu digo, mas não faças o que eu faço, parece-me ser o décimo primeiro mandamento, omisso nessa lista de virtudes.

Amar a Deus sobre todas as coisas é o primeiro dos 10, mas que na maioria das vezes, não é cumprido, pois amam mais o seu clube de futebol ou possuir o poder para humilhar.

Há também quem ame outras coisas, mais do que ao seu Deus ou será outra coisa?

Não invocar seu nome em vão é outra das regras que quebram com frequência, pois a todo o momento o invocam, até na intimidade, não esquecendo os crimes cometidos em seu nome.

Guardar domingos e festas de guarda é um mandamento que a maioria adora, sobretudo para quem nada faz, pois invariavelmente ou é domingo ou festa de guarda.

Honrar pai e mãe. Este é talvez o mandamento mais praticado, pois a maioria das pessoas honram os seus progenitores em detrimentos dos outros, pois constantemente os apelidam de filhos deste ou daquele, apesar de também haver muitos filhos/as que não honram os seus pais e não estou a falar dos bebés provetas.

Não matar. Este é seguramente a regra mais quebrada desde que o homem é homem.

Olhando para a história temos exemplos, quanto baste, para demonstrar que o homem vive de palavras que voam com a mais pequena aragem que sopre perto dele.

Não olham a meios para matar, mesmo os pais (dos outros) que tanto deveriam honrar, sim porque os que morrem, são mortos ou assassinados, também têm pais.

Os carrascos ou os mandadores, para mim são iguais na culpabilização dos seus actos horrendos, selvagens e na maioria dos casos, vão ao seu culto, rezar, quem sabe, para que não acabe o stock das vítimas, pois adoram a tortura.

Deveria ser proibida a hipocrisia e os todos os seus derivados, consumidos em larga escala.

Não pecar contra castidade, quer dizer o quê concretamente?

Então o homem só pode pecar contra a castidade, casando? Então depois já não é pecado ou nós fomos, através dos séculos, empurrados para esta regra que é contra-natura?

Então e os que nascem fora do casamento não podem honrar os seus progenitores?

Então já se pode violentar, violar ou usar a pedofilia para quebrar a castidade ou isso já não é pecado? Pedofilia não é pecar contra a castidade? É muito mais do que isso, pois trata-se de violação de crianças ou jovens, que ainda pouco ou nada conhecem da vida, travando e distorcendo o seu normal crescimento.

Então o tal criador não concebeu o homem e a mulher? Então sigam o seu curso, separem os sexos, por respeito à sua privacidade e identidade, porque um dia terão a oportunidade de se fundirem num só ou não, mas isso serão escolhas de adultos.

Não furtar é fundamental na vivência entre humanos, pois obter o que é dos outros por esta via, não dignifica o homem. Esta regra (não furtar) aplica-se também aos direitos dos cidadãos, à suas vidas, crenças, opções e conceitos.

É mais grave roubar a alma de um ser vivo, do que lhe furtar a sua bicicleta.

Não levantar falso testemunho.

As pessoas quando chegam a este mandamento, passam por cima, sem ler, tal a quantidade de falsos testemunhos que se reproduzem diariamente em todo o mundo, no seu país, na sua rua ou no grupo dos seus amigos, não esquecendo que até entre famílias é prática corrente.

Não desejar a mulher do próximo. Comemorou-se no passado dia 8 de Março, o dia da mulher e eu ao ler este mandamento, pergunto a mim mesmo, se a mulher pode cobiçar o marido da amiga?

Porque as mulheres não estão incluídas nesta regra ou então o homem está incluído no lote das coisas a não serem cobiçadas, que é o décimo e último mandamento.

Os 10 mandamentos não são suficientes para estabelecer regras para os humanos e penso que estará na altura de repensarmos todos estes mandamentos, actualizando e tornando-os mais consentâneos com as realidades contemporâneas.

 

 

 

Autor: Fernando Roldão

 

Texto escrito pelo antigo acordo ortográfico 

LEIA TAMBÉM

Direito de Resposta: Presidente da Junta da União das Freguesias de Ervedal e Vila Franca da Beira justifica abate de pinheiro centenário em Vila Franca da Beira

Abate de pinheiro manso – Vila Franca da Beira Venho por este meio e ao …

A retórica de falsas promessas de Marta Temido novamente em velocidade de cruzeiro… Autor: Fernando Tavares Pereira

A solução dos vários problemas da saúde que se fazem sentir no nosso país parecem …