Home - Últimas - Parlamento Europeu levanta imunidade a Álvaro Amaro a pedido do tribunal da Guarda

Parlamento Europeu levanta imunidade a Álvaro Amaro a pedido do tribunal da Guarda

O Parlamento Europeu decidiu levantar hoje a imunidade a Álvaro Amaro, a pedido do tribunal judicial da Guarda, onde o eurodeputado do PSD é arguido no âmbito do processo Rota Final. Os eurodeputados votaram esta manhã o levantamento da imunidade com 686 votos a favor, três contra e quatro abstenções.O desfecho da votação era já esperado, dado que o relatório do Parlamento o recomendava e o próprio Álvaro Amaro não se opôs.

O ex-presidente da Câmara Municipal da Guarda é acusado de fraude e viciação de procedimento de contratação pública, num esquema de favorecimento à empresa de transportes Transdev. O processo em causa diz respeito a suspeitas de benefício da Câmara Municipal da Guarda a uma companhia de teatro, em 2014, altura em que Álvaro Amaro era presidente da autarquia – mandato ao qual renunciou quando foi eleito para o Parlamento Europeu, nas eleições europeias de maio de 2019 -, tendo o pedido de levantamento da imunidade parlamentar sido apresentado em outubro desse ano pelo Tribunal da Comarca da Guarda.

Álvaro Amaro sobreesta decisão lembrou que, “desde o primeiro minuto”, solicitou “que a imunidade fosse levantada no mais breve prazo possível, como, de resto, resulta do relatório hoje aprovado” e reiterou a sua “total disponibilidade” para colaborar com a Justiça. “Mais, se fosse juridicamente admissível, teria prescindido imediatamente da imunidade parlamentar. Reafirmo a minha total disponibilidade e prontidão para colaborar com as autoridades, que, estou certo, oportunamente concluirão pela inexistência de qualquer ilegalidade ou irregularidade”, completou.

Em julho de 2019, por ocasião da sessão inaugural do Parlamento Europeu saído das eleições de Maio desse ano, Álvaro Amaro, então já constituído arguido no quadro da operação “Rota Final” – uma investigação da Polícia Judiciária (PJ) sobre um alegado esquema fraudulento de viciação de procedimentos de contratação pública -, defendera que era “absolutamente compatível” começar a desempenhar as funções de eurodeputado e continuar a colaborar com a Justiça no âmbito da operação `Rota Final`. “Jamais me refugiarei atrás de qualquer estatuto de qualquer tipo de imunidade. Estive e estarei até ao último segundo disponível para prestar todos os esclarecimentos perante a Justiça portuguesa”, declarou na ocasião o antigo autarca, em Estrasburgo.

LEIA TAMBÉM

Despiste em Manteigas causa dois feridos graves

O despiste de uma viatura ligeira em Sameiro, no concelho de Manteigas, provocou dois feridos …

Novo Mapa judiciário entra em vigor segunda-feira, Tribunal de Oliveira do Hospital reduzido Secção de competência genérica e Câmara só discutiu assunto a 24 de Julho

Tribunal iniciou julgamento de assaltantes de carrinha de Valores em Vila Nova de Poiares

O Tribunal de Coimbra começou hoje a julgar três homens e três mulheres acusados de …