Home - Sociedade - Cultura - Tábua, Mira e Vagos criam projecto de programação cultural em rede com financiamento de 300 mil euros

Tábua, Mira e Vagos criam projecto de programação cultural em rede com financiamento de 300 mil euros

Os municípios de  Mira, Tábua e Vagos juntaram esforços na criação de um projecto de  programação cultural em rede, com o propósito de  promover e desenvolver o património cultural e natural,  material e imaterial característico de cada uma destas  regiões. A proposta itinerante dá pelo nome “Os nossos e os vossos pela Cultura!” e conta com um projecto de financiamento global aprovado que  ascende os 300 mil euros e que conta com uma  distribuição equitativa de cerca de 100 mil euros por cada  um dos três municípios.

A Programação Cultural em Rede é um fundo  extraordinário, proveniente da União Europeia, que  comparticipa a 100 por cento iniciativas culturais realizadas por  Câmaras Municipais ou Comunidades Intermunicipais  em parceria com privados ou agentes culturais. Daí, este projecto ser apoiado por fundos da União  Europeia, com uma taxa de comparticipação FEDER  (Fundo Europeu para o Desenvolvimento Regional) de  100 por cento, cofinanciado através do Programa Operacional  Regional – Centro 2020. 

“Com o objetivo de fomentar e permitir a fruição e o  acesso universal à cultura de todos os cidadãos, esta  acção caracteriza-se pela diversidade da sua  programação, que inclui um conjunto de atividades  culturais que vão desde o teatro à música, passando pelo videomapping e pela dança adicionados a outros  momentos de caráter inovador”, explica a autarquia de Tábua. 

O projecto procura também privilegiar o conceito de itinerância, com  eventos comuns aos concelhos de Mira, Tábua e Vagos,  prevendo o envolvimento de associações locais e outros agentes que, devido à pandemia de COVID-19, viram a  sua actividade drasticamente reduzida, “valorizando desta  forma a produção cultural local e criando condições para  o desenvolvimento económico e social destes territórios”. 

“Para nós, é um orgulho ver este projeto aprovado,  principalmente numa altura em que a cultura foi sendo  deixada um pouco para trás. Estes projetos culturais em  rede – unindo Mira, Tábua e Vagos – são uma boa forma  de valorizar o território, os artistas locais e criar uma  dinâmica diferente em cada município”, refere o presidente da Câmara de Mira, Raul Almeida, frisando que  a perspetiva é arrancar com as iniciativas ainda este Verão, se a pandemia o permitir. 

Já o Presidente da Câmara Municipal de Tábua refere que para o seu município é “uma oportunidade de excelência integrar um projecto de  elevado nível cultural, em conjunto com os Municípios de  Mira e de Vagos”. “No momento difícil que atravessamos e em que os agentes culturais têm sido também muito  penalizados, este projeto abre portas e cria  oportunidades e sinergias únicas a nível local e regional,  quer para os artistas, quer para a nossa população. Por  isso, entendo que o Fundo colocado à disposição das autarquias cumpre, com rigor, o desígnio da coesão  territorial, no que respeita à promoção da cultura”, sublinha Mário de Almeida Loureiro. 

Segundo o Presidente da Câmara Municipal de Vagos,  Silvério Regalado, “este é um projeto no qual a Câmara  Municipal de Vagos se empenhou a fundo e ao qual  reconheço diversos méritos, nomeadamente a interação  intermunicipal, sempre geradora de novas experiências e  de saber acumulado; a possibilidade de permitir aos  vários agentes culturais, a oportunidade de poderem  realizar o seu trabalho, numa altura particularmente difícil  para este setor e a diversidade que esta proposta  representa, permitindo-nos abrir horizontes para diversas  formas de interpretação cultural”.

 

LEIA TAMBÉM

Seia com mais de uma centena de casos activos de COVID-19 e Gouveia vê o número de infectados disparar

O concelho de Seia está a atravessar um momento complicado com a COVID-19, com mais …

Homem detido na Guarda por violência física e psicológica sobre a mulher

A GNR deteve hoje um homem, de 53 anos, suspeito de exercer violência física e …