Home - Últimas - Na actual “fase 1” da Vacinação anti Covid: Governo quer reduzir gastos financeiros à custa da saúde – quiçá da vida ! – dos Idosos e outros mais vulneráveis! Autor:João Dinis

Na actual “fase 1” da Vacinação anti Covid: Governo quer reduzir gastos financeiros à custa da saúde – quiçá da vida ! – dos Idosos e outros mais vulneráveis! Autor:João Dinis

Prossigo no cumprimento da “promessa” que fiz segundo a qual “nem um segundo me calarei” naquilo que toca ao processo da Vacinação, em massa, anti Covid.  Assim :

— A propaganda que nos quer “lavar o cérebro” nesta matéria da Vacinação, no caso dos idosos acima de 80 anos e doentes vulneráveis acima de 50 anos, essa propaganda berra que “ninguém ficará para trás” ou seja, pretendem convencer-nos de que todos os interessados vão ser devidamente vacinados.

— Temos dito que não nos venham para cá com a “conversa da treta” em torno dos obstáculos, pretensamente intransponíveis, em torno de alegadas “dificuldades técnicas” com as vacinas e a vacinação em causa.  Pois, certamente, há cuidados técnicos, específicos, a ter no processo mas podem ser “tranquilamente” resolvidos e assim haja vontade política por parte do Ministério da Saúde e do Governo, e também do Presidente da República e da maioria dos Deputados na Assembleia da República.

— Problemas “técnicos” que podem ser resolvidos a ponto de se ir vacinar ao domicílio, a casa dos idosos e outros vulneráveis !  E, repete-se, assim haja vontade política para isso !

— Mas então, por que especial razão montaram – o Ministério da Saúde e Governo PS – por que razão montaram “eles” apenas um “posto de vacinação” na cidade de Oliveira do Hospital, aliás como estão a fazer noutros municípios e, aliás, nem em todos?  Pois, a nosso ver, “eles” engendraram esta “insuficiência” preocupante para reduzir gastos financeiros no Orçamento do Estado com a democratização da vacinação através de muitos mais “postos de vacinação” e pela vacinação ao domicílio .  Ou seja, para reduzir gastos financeiros no processo, no caso à custa da saúde, quiçá à custa da vida, dos idosos e outros vulneráveis sobretudo dos com maiores dificuldades motoras e de outro tipo !

— Sim, temos visto na televisão, equipas especiais a irem vacinar populações indígenas em aldeamentos dentro da floresta amazónica !  Enfim, quase me apetece dizer:- “quero ser um Índio, no Brasil !”…  E questiono-me em se Bolsonaro é mais sensível e mais competente, nesta matéria da democratização da vacinação, do que o são Marcelo e Costa ?…

Há muito idoso e outros mais vulneráveis que correm riscos de “ficarem para trás”…

— A partir de um breve “inquérito” a que me dediquei, faço notar que o recurso a ambulâncias de Bombeiros para transporte de idosos ao “posto de vacinação”, em Oliveira do Hospital, se a requisição for directamente feita, isso vai ter custos a pagar pelo Utente. Em caso de “requisição” desse transporte feita através da Câmara Municipal, em determinadas circunstâncias não terá custos para o Utente, em especial se este não tiver familiares por perto ou se tiver comprovadas carências financeiras.  

Mas cá temos nós a carência de informação – por parte da Câmara Municipal que não divulgou, povoação a povoação, casa a casa, as hipóteses de ajuda que tem — e onde pesam também, e muito, as carências de iniciativa prática por parte desses mais idosos. E, sim, nesta tarefa candente de informação e requisição de transporte (grátis) que andam a fazer os Membros das Juntas de Freguesia ?  Auto-suspenderam-se das suas funções autárquicas  com medo de contágio covidiano ?  Enfim, sempre podem usar máscara(s) e luvas de protecção…

Conheço dois casos exemplares:- num deles,  uma idosa com 97 anos, acamada, foi chamada – em telefonema para uma filha recebido pelas 15 horas para ir à vacina ainda nessa mesma tarde!  Por acaso, a filha teve condição para improvisar, à pressa, a ida da mãe à vacina (1ª toma).  Se não tivesse essa possibilidade, a senhora com 97 anos “teria ficado para trás” pelo menos à espera de próxima convocatória…   Outro caso, num casal com mais de 80 anos cada, foi convocada a esposa mas não foi convocado o esposo. Tiveram que recorrer a uma amiga que levou a senhora e ficou comprometida em também levar o senhor quando este for chamado. E há as duas tomas da vacina…

E no meu próprio caso, com doença crónica especificada, verifiquei não estar recenseado, para a minha vacinação, através da plataforma informática específica – covid19.min-saude.pt – embora o meu (prestimoso) médico família me ter enviado prova de que estou por ele indicado para a vacinação já nesta fase, e eu quero ser vacinado !

Ou seja, muito idoso e outros mais vulneráveis correm riscos de “ficarem para trás” neste desastrado e desastroso processo da Vacinação anti Covid.

— Estou a requerer à Directora do Centro de Saúde de Oliveira do Hospital e à Câmara Municipal que divulguem – semanalmente – os números dos convocados e dos que efctivamente recebem a 1ª toma da Vacina em Oliveira do Hospital. Acrescento que têm o dever de divulgar sob pena de tornarem legítima a dúvida, crítica, quanto à (falta de) eficácia do processo…

18 Fevereiro 2021

Autor: João Dinis

LEIA TAMBÉM

COVID-19 em Seia continua a aumentar

O concelho de Seia voltou a registar um aumento de casos de COVID-19. De sexta-feira …

Fernando Ruas eleito por unanimidade presidente da CIM Dão Lafões

O presidente da Câmara Municipal de Viseu, Fernando Ruas, foi eleito por unanimidade como novo …