Home - Economia - A Serra voltou a ser Estrela. Autor: Nuno Tavares Pereira

A Serra voltou a ser Estrela. Autor: Nuno Tavares Pereira

Este fim-de-semana a nossa Serra da Estrela teve muitos visitantes. Cruzaram seguramente as suas estradas mais de 500 mil pessoas no Sábado e no Domingo. Já não me lembrava de dias assim. Pela minha memória, pelo menos há uns 25 anos. Por aí. Principalmente naquela que é a mais genuína Serra da Estrela. A subida por Seia que era em tempos a grande entrada naquela montanha. Passados anos e mesmo tendo ainda as mesmas estradas e acessos, bem como condições, eis que este fim-de-semana a Estrela rebentava pelas costuras. Eram os famosos autocarros apinhados de gente, sobretudo da zona do Porto e Braga. Mas também de outras partes do país. Não faltaram os famosos piqueniques e as típicas sandes com qualquer coisa, porque o comércio não aguentava tanta procura. E houve os escorregas que vieram substituir os antigos plásticos e câmaras de ar.

Tudo parecia recuar ao movimento tão típico dos anos 90. É verdade que a neve é sempre a rainha, mas há muito mais para explicar este fenómeno: a crise.

Se existe um Turismo que realmente vem em qualquer altura do ano, também existem os ditos turistas sazonais. Os sazonais, são os das redondezas e os de mais longe.

Antigamente era assim, pois ficava caro e demorava muito tempo ir passear para a Suíça, Andorra, Sierra Nevada ou para outros locais.

Este fim-de-semana recuámos e mais uma vez quando foi preciso a Serra virou-se para o Norte. Adoro toda a Serra. Gosto muito da Covilhã, da Guarda, de Manteigas, etc. Mas a verdadeira simbologia da serra é a subida pelo Sabugueiro. Essa voltou a acontecer e tudo porque estamos em crise. Não venham dizer que é o contrário porque em 25 anos tivemos muitos nevões e dias melhores que este fim-de-semana, mas o Covid, o aumento do custo de vida, convergiu ontem na viragem do turismo para onde ele mais existia.

Sabemos que pouco ou nada foi feito na vertente Norte da Serra da Estrela. O poder de decisão está no Sul da Serra. Mas ficou provado que muito pode mudar. Basta uma melhoria das acessibilidades, condições sanitárias para os visitantes, programas de divulgação e promoção para a Serra voltar a ser Estrela e até competir com os outros mercados de luxo.

Não tem problema se trazem sandes, marmita ou garrafão. O importante é virem e deliciarem-se com a nossa natureza. Sem a magoar. Isto porque é preciso limpar e recuperar porque o próximo fim-de-semana promete. Teremos mais frio e queda de neve nos dias que antecedem o sábado e domingo que podem trazer nova enchente. E para o Carnaval cá estaremos. É bom ver o queijo a desaparecer das prateleiras e voltarmos ao mapa do Turismo.

Agora falta o resto do trabalho e receber bem.

Nota especial para o enorme número de visitantes brasileiros que vieram à Serra. Muitos já são habitantes do nosso Portugal pequenino, mas que tem um pouco de tudo. Sejam bem-vindos.

A Serra voltou a ser Estrela.

 

 

 

Autor: Nuno Tavares Pereira

LEIA TAMBÉM

«São rosas, Senhor, são rosas…». «Não só, Senhora, também há laranjas!».  São frutos do sistema, dizemos nós!… Autor: Carlos Martelo

Não sei bem porquê, acudiu-nos à ideia a história das rosas do rei D. Dinis …

O atestado. Autor: Fernando Roldão

Um atestado é uma declaração feita por testemunha ou por quem tem a certeza da …