Home - Desporto - Alegada queda de chamada pode ter custado 100 mil euros por ano ao AD Nogueirense

Alegada queda de chamada pode ter custado 100 mil euros por ano ao AD Nogueirense

António Lopes não se conforma com a falta de respostas do presidente da autarquia José Carlos Alexandrino sobre algumas das questões que lhe colocou na última Assembleia Municipal(AM). Uma delas tinha a ver com o facto de este, alegadamente, ter desligado o telefone na cara do empresário Joaquim Marques, quando este lhe falou na possibilidade de António Lopes encabeçar uma lista à direcção da AD Nogueirense. O autarca, porém, não respondeu a esta e a outras perguntas do ex-presidente da AM, limitando-se a referir que não estava “ali para discutir entrevistas ou assuntos pessoais”. Não aceitou o desafio, por exemplo, para apontar ali quem diz andar a ajudar financeiramente o empresário, como optou por não explicar se tinha ou não tido interferência num assunto que segundo António Lopes privou o Nogueirense “em 100 mil euros por ano”. Estes números seriam, eventualmente, o montante que empresário estaria disposto a conceder ao emblema.

O agora presidente do clube, Joaquim Marques, que na altura convidou António Lopes para encabeçar uma lista concorrente à liderança do clube, contactado pelo CBS preferiu não fazer comentários sobre o assunto. Estranhou mesmo que o caso tenha voltado a ser falado, uma vez que entende que está mais que ultrapassado. “O assunto estava encerrado e desconheço em absoluto o que se passou posteriormente”, explicou o dirigente, recusando-se a fazer qualquer outro tipo de declarações.

António Lopes, porém, considera que José Carlos Alexandrino tinha obrigação de esclarecer ali a sua interferência num caso que não lhe dizia respeito. “O que posso dizer é que Joaquim Marques me convidou para ser presidente e eu lhe disse que não era boa ideia. Por várias razões. Porque não tinha tempo, porque vivo afastado e não podia acompanhar devidamente a vida do clube. Além disso, alertei que o convite poderia trazer alguns problemas e que seria melhor falar com o presidente da Câmara”, explica António Lopes, adiantando que na base do convite provavelmente estaria o apoio financeiro que ele iria injectar na colectividade, permitindo-lhe atingir outros objectivos. “Já quando estive no Covilhã dei uma média de 100 mil para o clube por ano”, explica ainda o empresário. “Só espero é que a Câmara tenha compensado o Nogueirense por este caso”, rematou António Lopes.

Ao que o CBS apurou, junto de fonte próxima do processo, o presidente terá reagido mal. Desligando mesmo o telefone na cara do empresário. Mais tarde ter-se-á justificado, alegando que não tinha desligado, mas que teria sido a chamada que caiu. A partir desse momento foi encontrada outra solução. Com o próprio Joaquim Marques a assumir a presidência. “Foi um episódio extremamente desagradável, aquilo que aconteceu. O clube poderia ter conseguido o apoio de mais um empresário e por divergências políticas acabou por ser afastado”, sublinha a mesma fonte que preferiu manter o anonimato.

Na altura, em Julho, recorde-se, Joaquim Marques referiu que fez o convite, porém, depois de tirar um parecer, apercebeu-se de “divergências políticas”. “Para mim a política não conta e a instituição Nogueirense não tem nada a ver com política, nem politiquices… mas não quero ver ninguém indisposto”, explicou, na altura, adiantando que desafiou António Lopes para liderar uma lista pelo simples facto de ser sócio e vice-presidente do clube, recusando-se, contudo, a identificar quem terá ficado “indisposto” com tal convite. Mas, segundo garantiram ao CBS, a ideia terá caído depois do contacto com José Carlos Alexandrino. O autarca, no entanto, rejeitou, na altura, a acusação, alegando que nem era sócio do clube. Confrontado agora novamente com esta questão por António Lopes remeteu-se ao silêncio.

 

LEIA TAMBÉM

Sandra Fidalgo assumiu a liderança do PSD de Oliveira do Hospital e Mário Alves é o presidente da Mesa da Assembleia

Sandra Andrade Fidalgo tomou ontem posse como a nova presidente da Concelhia do PSD de …

José Carlos Alexandrino incorre numa pena até dois anos de prisão, segundo a CNE

O ex-presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital volta a ser alvo de reprimendas …