Home - Região - Local - Alves sustenta que revisão do PDM está a ser condicionada pela indefinição dos traçados dos novos IC

A equipa que está a elaborar a revisão do Plano Director Municipal (PDM) de Oliveira do Hospital – um processo que está a ser coordenado por Lusitano dos Santos – esteve esta sexta-feira, 28, na Assembleia Municipal, a fazer um ponto da situação sobre a fase em que se encontra aquele instrumento de gestão, um documento que está em revisão desde 2002.

Alves sustenta que revisão do PDM está a ser condicionada pela indefinição dos traçados dos novos IC

Imagem vazia padrãoExplicando que a indefinição ainda existente quanto aos traçados dos novos itinerários complementares que o governo pretende construir na região – IC 6, IC 7 e IC 37 –, estão a “condicionar o PDM” – “onde é que os IC´s vão passar”, questionou Mário Alves –, coube depois à arquitecta Alexandra Henriques dar conta de que a Reserva Agrícola Nacional (RAN) está finalizada e aprovada por todas as entidades competentes, o que já não sucede com a Reserva Ecológica Nacional (REN), que por enquanto ainda só tem a aprovação da Comissão Técnica de Acompanhamento.

Com vários documentos já concretizados – como os estudos de caracterização, por exemplo –, o PDM tem ainda o regulamento e a planta de ordenamento em discussão e carece também de uma Avaliação Ambiental Estratégica, que é obrigatória por via de uma directiva comunitária de 2001.

Tendo ainda um longo caminho a percorrer – é quase certo que não existirão condições para que o novo PDM esteja operacional em 2008 –, o que é estranho é que, nesta altura do campeonato, existam ainda constrangimentos no que se refere, sobretudo, a três freguesias do Vale do Alva – Alvôco das Várzeas, Vila Pouca da Beira e S. Sebastião da Feira – que , conforme referiu o presidente da Câmara, ainda têm muitas áreas onde não é possível construir-se por causa do Plano Rodoviário 2000, que previa a passagem do IC 7 entre Vendas de Galizes e a Covilhã através do atravessamento dos vales do Alva e Alvôco.

Esse cenário já foi colocado fora de questão há muito tempo pelo governo e a ligação à Covilhã – conforme os três cenários que estiveram em consulta pública –, nunca será feita por aquela zona do concelho.

LEIA TAMBÉM

CNE adverte Câmara Municipal de Tábua para que tenha em conta a lei dos deveres de publicitação de informações

A Comissão Nacional de Eleições (CNE) recomendou ao presidente da Câmara Municipal de Tábua que …

Acidente na unidade da Sonae em Oliveira do Hospital amputou braço a um funcionário

Um acidente de trabalho na unidade industrial da Sonae, em S. Paio de Gramaços, provocou …