Home - Outros Destaques - “O problema é que esta Câmara é gerida por professores que geriam mal as suas escolas e continuaram a gerir mal o município”

“O problema é que esta Câmara é gerida por professores que geriam mal as suas escolas e continuaram a gerir mal o município”

A candidatura do Chega, liderada por António José Cardoso, apresentou ontem os candidatos à Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, Assembleia Municipal e a quatro das 16 juntas do concelho. O candidato começou logo por referir que aquela é uma equipa constituída por gente trabalhadora e que muitos dos elementos não podiam estar ali presentes, precisamente porque estavam a trabalhar.

“Não são funcionários públicos da Câmara Municipal que podem aproveitar o seu período de trabalho para ir para o mercado distribuir propaganda eleitoral do PS”, começou por acusar, referindo que José Carlos Alexandrino colocou os seus interesses pessoais à frente dos interesses do concelho e que o agora candidato pelo PS José Francisco Rolo se prepara para fazer o mesmo. E considerou estranho o número de professores no executivo. “Por que raio é que tem de ser professor para se estar no executivo. Não tenho nada contra os professores, mas aqui o problema é que esta Câmara é gerida por professores que geriam mal as suas escolas e continuaram a gerir mal o município”.

António José Cardoso defendeu ainda que sua candidatura é baseada nos valores da família e do trabalho. “Sou candidato porque o quero ser, porque considero que tenho capacidade para isso e pelo futuro dos meus filhos e de todos os jovens de Oliveira do Hospital”, sublinhou, frisando que o projecto da sua equipa defende trabalho, o empreendedorismo e qualidade de vida. “Sou responsável por mais de mil empregos, mais de 200 em Oliveira do Hospital”, disse o candidato do partido de André Ventura, numa alusão à sua carreira profissional. E aproveitou para voltar a questionar a Câmara oliveirense, e em particular José Carlos Alexandrino e o candidato do PS José Francisco Rolo, da razão de terem impedido a criação de 200 postos de trabalho na Cordinha. “É que ainda ninguém disse nada. Qual a razão de Boicotarem a CoverCar [instalou-se em Nelas] no Seixo da Beira”, acusou.

O candidato do Chega acentuou também que a autarquia tem de se empenhar em trazer investimento para Oliveira do Hospital. E diz acreditar que se for eleito para comandar os destinos do concelho conseguirá criar um  emprego por dia, 1500 em quatro anos. “Durante este tempo todo, os elementos do PS não criaram nenhum e ainda destruíram alguns dos que existiam. É preciso atrair empresas tecnológicas que paguem salários dignos”, disse, alertando que o número dois da Câmara terá de ser alguém competente ligado ao sector empresarial, para estar presente e ser capaz de ajudar e desbloquear os problemas das empresas. Atacou, ainda que sem citar o nome, o candidato do PS José Francisco Rolo. “Não pode estar ligado à subsidiodependência, a dar sempre o subsídio aos mesmos, que entra às horas que quer e a quem é preciso ir buscar a casa para vir trabalhar. Não queremos isso. O nosso tem de ser empreendedor”, vincou.

Elogiando os técnicos que fazem parte dos quadros da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, classificando-os mesmo de excelentes, António José Cardoso considerou que o problema é que há na autarquia é de má lideranças. “Não podemos ter técnicos que andem por alia a parasitar”, disse, frisando que os lugares tem de ser ocupados pela meritocracia e não pela família, cartão partidário ou cunha. “É isto que nós queremos combater”, atirou, aproveitando ainda para se referir ao facto de se falar em construir uma nova zona Industrial. “Mas já se quer construir outra, quando existe uma vazia e outra em obras. Eles não sabem que o empreendedorismo não se mede pelos lotes disponíveis, mas sim pelos postos de trabalho. O problema é que esta Câmara é gerida por professores que geriam mal as suas escolas e continuaram a gerir mal o município”, atirou.

António José Cardoso considerou ainda prioritária uma aposta no ambiente. Com a criação, por exemplo, de um viveiro municipal que iria criar dezenas postos de trabalho produtivos e ajudar na reflorestação. Também defende uma aposta no ensino, mas com transparência. “Porque é que não é clara a relação entre a BLC3 e a Câmara Municipal. Onde anda o biodiesel que nos venderam durante anos? Não vemos nada”, atirou, questionando também a necessidade de criar um mega agrupamento, quando há dez anos se andaram a construir escolas. “Será que existem interesses ligados à construção civil? Bem, alguns até pagam outdoors do PS e do PSD”, voltou a acusar.

Na saúde, António José Cardoso quer ver clarificada a relação com a Fundação Aurélio Amaro Dinis. O pretendente a autarca sublinhou ainda que até defende parcerias com privados, mas têm de ser transparentes. E garantiu que se o Chega for poder o Centro de Saúde vai ficar com urgências 24 horas por dia, “nem que isso custe alguns milhares de euros à Câmara. Porque o dinheiro é muito mais bem empregue ali que em tirar e colocar alcatrão”.

Falou também em aproveitar o turismo e defender aqueles estrangeiros, “muitos deles quadros superiores, que estão disseminados pelo concelho” e que se encontram daqui a trabalhar remotamente para os seus países. “Foram afectados pelos incêndios e alguém os ajudou? Depois é o Chega que é contra os imigrantes”, glosou. António José Cardoso recorreu à freguesia da Bobadela para realçar um dos locais que “tem um potencial imenso que não é aproveitado”. Disse ainda que se deve “promover o turismo sustentável” e promover eventos que sejam uma mais valia, dando o exemplo do Rally de Portugal que “gera milhões” ao Município de Arganil, ao contrário da Volta a Portugal que “custa dinheiro à Câmara de Oliveira do Hospital”. “A EXPOH e outros eventos têm que ser economicamente sustentáveis”, frisou.

Nas listas concorrentes, o Chega apresenta para a Câmara Municipal: António José Cardoso, Luís Filipe Freire, Sílvia Miguel Santos, Igor Klimenko, Roger Nunes, Rocio Gutierrez e Hugo Pereira. O primeiro candidato à Assembleia Municipal é José Carlos Nogueira. Como candidato à União de Freguesias de Oliveira do Hospital e S. Paio de Gramaços surge Pedro Cruz, na UF de Ervedal e Vila Franca da Beira a lista é liderada por Micael Marques, Rui Catarino é candidato à UF de Santa Ovaia e Vila Pouca da Beira e Luís Filipe concorre pela Bobadela.

 

 

LEIA TAMBÉM

Dois novos casos de COVID-19 e pacientes descem para 12

O número de casos activos de COVID-19 em Oliveira do Hospital baixou para 12, apesar …

Fernando Tavares Pereira assegura que José Carlos Alexandrino “mente” no processo do posto de combustível do Chão da Bispa e mostra documentos

Fernando Tavares Pereira acusa Alexandrino de “mentir” no processo do posto de combustível, sublinhando que …