Home - Região - Oliveira do Hospital - António Lopes entregou denúncia no MP contra a autarquia de Oliveira do Hospital por alegados licenciamentos ilegais
António Lopes

António Lopes entregou denúncia no MP contra a autarquia de Oliveira do Hospital por alegados licenciamentos ilegais

O eleito António Lopes apresentou hoje uma denúncia no Ministério Público (MP) contra algumas decisões tomadas pela autarquia de Oliveira do Hospital. O homem que foi eleito para liderar a Assembleia Municipal quer ver esclarecidos vários licenciamentos, entre eles, e especialmente, como foi mantida e posteriormente aumentada uma construção de 545 metros quadrados “supostamente” em Zona de Reserva Ecológica Nacional (REN). António Lopes quer também que a justiça apure a legalidade do processo dos subsídios solicitados pela vogal da Sociedade Recreativa Ervedalense (SRE) sem conhecimento da direcção daquela instituição.

Na denúncia, a que o CBS teve acesso, António Lopes refere que a vogal da SRE, que ocupa também o cargo de secretária do presidente da autarquia, fez os pedidos em papel normal, sem carimbo da instituição e sem poderes para o efeito.

Sobre os licenciamentos, aquele eleito lembra que o problema daquela obra, construída entre as eleições e a tomada de posse de 2009, foi discutido em 2 de Março, em Reunião de Câmara, mas nunca foram cabalmente esclarecidas as condições de licenciamento. “A construção, a nosso ver, por se tratar de zona REN, é ilegal”, pode-se ler na denúncia.

Entre outros assuntos, António Lopes quer ver igualmente clarificadas as contas referentes às festas do queijo. Um dos aspectos que intriga o denunciante é o facto de o evento de 2012 ter consumido só em refeições mais de 30 mil euros.

“Está sempre a provocar nas Assembleias Municipais que lhe dei seis meses e que ainda lá está. Tenho algumas capacidades, mas ainda não mando na justiça. No que depender de mim não quero que lhe falte nada. Queria resolver o problema politicamente, mas como de regras de política, entenda-se democráticas, o senhor presidente percebe pouco e não quer aprender nada, fui obrigado a recorrer ao Ministério Público. Pretendo apenas uma política de transparência e ver se evito que continuem a fazer mais mal ao concelho”, explicou António Lopes em declarações ao CBS.

LEIA TAMBÉM

Presidente da CM de Oliveira do Hospital defende entrega de vales de 500 euros às pessoas para passarem férias no interior

O Presidente da CIM da Região de Coimbra e Presidente da Câmara Municipal de Oliveira …

Jovem de Lagares da Beira morre na Bélgica em choque brutal de camião “à velocidade máxima”

O jovem Fábio Cardoso, de 27 anos, natural de Lagares da Beira, concelho de Oliveira …