Home - Economia - “Aqua Village levou o nome de Oliveira do Hospital aos cinco continentes” numa caminhada “solitária”, atraindo no primeiro ano de actividade mais de 10 mil turistas

“Aqua Village levou o nome de Oliveira do Hospital aos cinco continentes” numa caminhada “solitária”, atraindo no primeiro ano de actividade mais de 10 mil turistas

O promotor do projecto Aqua Village – Health Resort & SPA, uma infra-estrutura turística de cinco estrelas, localizada em Caldas de São Paulo, esteve ontem na Assembleia Municipal da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital para fazer um balanço do primeiro ano de funcionamento daquela unidade hoteleira que durante os anos de construção e depois da inauguração (faz na próxima terça-feira um ano) viveu um aparente conflito com o executivo autárquico liderado por José Carlos Alexandrino.

Francisco Cruz deu a conhecer que em 12 meses o Aqua Village, que representou um investimento de 6,5 milhões de euros, ultrapassou os 10 mil hóspedes, superou as 20 mil dormidas e teve uma receita directa de 1 milhão de euros, tendo levado o nome de Oliveira do Hospital aos cinco continentes. Um trabalho que o promotor disse ser solitário, numa alusão aparente à falta de colaboração por parte do município. Perante estes dados, o presidente da autarquia limitou-se a referir, de forma algo seca, que aquele empreendimento é tratado como qualquer outra empresa do concelho.

“Pelos avanços, recuos, maior ou menor celeridade nas tomadas de decisão e vicissitudes que o processo de construção enfrentou, pela desinformação e contra informação que ao longo dos anos foi transmitida, pela intoxicação de informação falaciosa e caluniosa que provocou na comunidade a incerteza quanto à sua conclusão e viabilidade, decidi apresentar-vos os resultados de um ano de actividade para que se possa falar do Aqua Village com propriedade e dados irrefutáveis”, referiu Francisco Cruz, acentuando que o projecto é hoje “uma realidade incontornável”.

Sublinhando que não estava ali porque “o momento político é oportuno para atacar o executivo ou alimentar o debate político em torno do Aqua Village”, Francisco Cruz explicou que quer manter o projecto fora desta corrida eleitoral. “Sempre protegi o Aqua Village do debate político e é assim que desejo que continue. Não permitirei, por isso, oportunismos dos que poderão cair na tentação de usar o Aqua Village para se vangloriarem, nem dos que poderão usar o Aqua Village como arma de arremesso no debate político. Espero, por isso, que esta vontade expressa, seja respeitada”, frisou, salientando que não se encontrava ali para divulgar “as dificuldades, que foram muitas”.

“Transmito-vos, apenas, que foi o ano mais difícil da minha vida pessoal, social, familiar e, até, profissional”, vincou, sublinhando que também não pretende que a autarquia altere “a postura” que manteve ao longo dos anos para com aquele empreendimento. “Não venho promover-me, nem apresentar qualquer ‘fait devers’ pessoal, como o Aqua Village chegou a ser classificado na comunicação social ainda em projecto. Venho é apresentar-vos, com orgulho e sentido de responsabilidade, o resultado de um árduo e difícil trabalho solitário que a grande equipa do Aqua Village obteve”.

Francisco Cruz divulgou depois uma série de números. Lembrou que aquela unidade turística criou 48 postos de trabalho, atingindo os 63 colaboradores nos meses de Julho e Agosto. Explicou que o Aqua Village passou a ser o motivo de visitação dos turistas no território do concelho de Oliveira do Hospital e concelhos limítrofes. “Conquistou os turistas pela qualidade, diversidade e inovação dos serviços que disponibiliza e assume-se como destino turístico de excelência, levando o nome de Oliveira do Hospital e das Caldas de S. Paulo aos cinco continentes. Foi destaque nas revistas da especialidade e conquistou notoriedade na comunicação social nacional e internacional, bem como o segundo lugar no top tem das unidades hoteleiras mais incríveis que abriram em 2016”, referiu, adiantando que aquele empreendimento tem marcado presença nas principais feiras nacionais e internacionais “suportando solitariamente todos os custos associados”.

Francisco Cruz fez questão ainda de explicar alguns dos pontos que colocam a empresa Aqua Village na vanguarda da tecnologia, como amiga do ambiente. “Conta com a instalação de mais 300 projectores e 3500 metros de fita de tecnologia LED. Tem em funcionamento a maior central geotérmica do país e está a iniciar a instalação da maior central de produção de energia eléctrica da região, em regime de autoconsumo, com a instalação de 750 painéis solares fotovoltaicos, que servirão de sombreadores ao parque de estacionamento. Por tudo isto, o nível de satisfação de quem nos visita é elevado”, rematou Francisco Cruz.

LEIA TAMBÉM

EPTOLIVA distinguida novamente como “Escola amiga da criança”

A Escola Profissional de Oliveira do Hospital, Tábua e Arganil (EPTOLIVA) voltou, este ano, a …

Concelho de Oliveira do Hospital com cinco novos casos de COVID-19

O concelho de Oliveira do Hospital tem cinco novos casos de COVID-19, mas mantém os …