Home - Sociedade - Cultura - Associação salva escola de referência no ensino de música em Oliveira do Hospital e promete dar alento ao panorama cultural concelhio

Associação salva escola de referência no ensino de música em Oliveira do Hospital e promete dar alento ao panorama cultural concelhio

Surgiu em “apontamentos num guardanapo” pelo génio de Rui Marques, corria o ano de 2009. Superando muitas dificuldades, daqueles apontamentos nasceu a Academia de Música OHphicina das Artes, uma escola que ao longo dos anos adquiriu um prestígio ímpar no ensino da música. Cresceu rapidamente. A chegada da “Troika”, porém, retirou-lhe a capacidade de subsistência. O empenho de Rui Marques deixou de ser suficiente para suportar todos os encargos. Pairou no ar a possibilidade de encerramento. Mas, muitos oliveirenses, consideraram que aquela instituição era demasiado valiosa para se perder. Como solução nasceu a Associação Cultural de Oliveira do Hospital, cujos objectivos e corpos sociais foram apresentados este sábado num repleto auditório da Caixa de Crédito Agrícola. Sem merecer, porém, atenção por parte do executivo da autarquia oliveirense que primou pela ausência. A própria vereadora da cultura, Graça Silva, convidada para a cerimónia e para participar no debate subordinado ao tema “Cultura em Diálogo”, optou por não comparecer, responder ou enviar alguém em representação do município.

_DCS0012 (Small) “A OHphicina das Artes a única coisa que partilha com o município é o cavalo que se encontra no símbolo de ambas as entidades”, começou por referir Rui Marques, lembrando que este sempre foi um projecto independente. “Nunca nos foi dado um cêntimo de subsídio. Mas também foi ponto de honra nesta casa tratar a música de uma forma séria e não ser subsídio dependente”, sublinhou, acrescentando que a escola oferece certificações internacionais através das prestigiadas instituições ABRSM e Rockschool, que trazem alunos de outras instituições de outras localidades a Oliveira do Hospital para prestar os necessários exames. “Conseguimos os nossos objectivos e é com prazer que vemos os nossos alunos hoje seguirem para diversas bandas, cursos profissionais ou mesmo superiores ligados à música”, contou ainda Rui Marques que está a ultimar a sua tese de doutoramento e doou todo no material de que era proprietário na OHphicina das Artes à nova associação._DCS0013 (Small)

Foi a melhor solução que encontrou para amortecer os danos causados pela crise que deixou apenas três soluções para a escola. A primeira seria pura e simplesmente encerrar. A segunda aumentar os preços para níveis de outras escolas do género, algo que Rui Marques considerou inaceitável porque iria transformar o ensino demasiado elitista. A terceira: criar esta associação. “Com esta opção existem várias vantagens, desde logo em termos fiscais, uma vez que já não obriga a reflectir determinados impostos, como o IVA, nas mensalidades dos alunos. Depois ganha em termos de relação com a autarquia, por exemplo, no acesso a espaços públicos”, explicou o fundador da OHphicina das Artes, garantindo que a nova orgânica mantém os professores e o pessoal administrativo que já colaboravam com a OHphicina.

A recém-constituída direcção da nova associação, que está na fase de angariação de sócios, sendo que a anuidade será de 12 euros, não esconde que um dos pilares fundamentais passa por preservar a competência de ensino musical que aquela escola oferece aos seus alunos, uma qualidade que ficou demonstrada com a interpretação de pequenos momentos musicais por parte dos seus alunos. Momentos que não deixaram ninguém indiferente. Mas a nova entidade porém quer ir mais longe. Tem nos seus objectivos alargar o âmbito promoção sociocultural no concelho, ampliando a colaboração com outras instituições.

_DCS0015 (Small)“Não temos dúvidas que há espaço para mais esta associação que vai ter várias actividades como a formação em diversas áreas da cultura, abrangendo a música, o teatro, a dança, a etnografia, as artes plásticas, o cinema, a fotografia, o design, o vídeo e a literatura, bem como outras formas de comunicação e expressão. Estou certa que terá um futuro brilhante”, disse Maria José Freixinho que faz parte dos novos corpos sociais, defendendo um intercâmbio com as restantes instituições do concelho. Já o presidente da nova Associação Cultural de Oliveira do Hospital, Ricardo Marques, sublinha que a associação vai aumentar a oferta cultural na cidade. O elemento da JS e eleito municipal, André Pereira, também levantou a sua voz da plateia para reconhecer que a nova instituição não só tem espaço para existir, como é um elemento fundamental para a cultura no concelho.

A recém-criada Associação Cultural de Oliveira do Hospital conta já com um vasto programa em várias _DCS0009 (Small)áreas culturais e espera a contribuição de todos. “O principal objectivo é contribuir para a discussão da realidade cultural concelhia, tomando como ponto de partida os contributos de autarcas, dirigentes associativos e profissionais de áreas da cultura como o ensino artístico, a história, o turismo e a etnografia”, explica a direcção da nova associação criada em Setembro do ano passado e que se diz independente do Estado, dos órgãos autárquicos, dos partidos políticos, das organizações religiosas ou de quaisquer outras organizações. “Tem como objecto a promoção sociocultural, através do fomento da prática artística e pedagógica e do desenvolvimento das novas tecnologias da comunicação e da informação”, notam ainda.

_DCS0011 (Small)A formação em diversas áreas da cultura, abrangendo a música, o teatro, a dança, a etnografia, as artes plásticas, o cinema, a fotografia, o design, o vídeo e a literatura, bem como outras formas de comunicação e expressão são temas a que a Associação Cultural de Oliveira do Hospital pretende estar atenta, bem como à investigação, produção e edição de trabalhos, naquelas áreas, com recurso às novas tecnologias e em suporte escrito, fonográfico, videográfico e on-line. Merecem também destaque a promoção de projectos de cariz sociocultural para a infância, juventude, adultos e terceira idade, sensibilizando a comunidade para a cultura, cidadania e estilos de vida saudáveis e intervindo na defesa e divulgação do património cultural e natural da Região Centro do País.

LEIA TAMBÉM

Bebé nasceu na ambulância dos Bombeiros Voluntários de Lagares da Beira

Os Bombeiros Voluntários de Lagares da Beira auxiliaram hoje o nascimento de uma criança quando …

Edição impressa do Correio da Beira Serra nº3

Clique na capa abaixo para ler a edição impressa.