Home - Últimas - Bloco promove protesto contra Águas do Planalto que tem os “preços mais elevados do país” e serve o concelho de Tábua

Bloco promove protesto contra Águas do Planalto que tem os “preços mais elevados do país” e serve o concelho de Tábua

O Bloco de Esquerda está a promover acções simbólicas de protesto, com queima de facturas, contra a Águas do Planalto que abastece os concelhos de Carregal do Sal, Mortágua, Santa Comba Dão, Tábua e Tondela, e que, dois anos depois, a Águas do Planalto iniciou a actividade. O BE refere em comunicado que “os preços da água nestes concelhos do sul do distrito continuam dos mais caros do país” tendo, por isso, decidido retomar os protestos e o debate sobre a municipalização do serviço de abastecimento.

O BE recordou que, em 1996, a Associação de Municípios da Região do Planalto Beirão lançou o concurso público internacional para a concessão do serviço de abastecimento e distribuição de águas para os concelhos de Carregal do Sal, Mortágua, Santa Comba Dão, Tábua e Tondela, e que, dois anos depois, a Águas do Planalto iniciou a actividade.

O contracto tinha uma duração de 15 anos (terminaria em 2013), mas, em 2007, foi feito um aditamento, “que não teve o visto do Tribunal de Contas, não foi aprovado nem discutido nas câmaras municipais, nem nas assembleias municipais e não teve o parecer prévio do IRAR (actual Entidade Reguladora dos Serviços de Água e Resíduos)”, acrescentou, sublinhando que “o aditamento levou a que a concessão se estendesse até 30 de Abril de 2028, obrigando também ao aumento dos tarifários, lesando assim os interesses da população”.

“Temos das facturas da água mais caras do país, que variam entre 286,04 e 300,44 euros para um consumo médio de 120 metros cúbicos anuais divididos nos serviços de abastecimento, saneamento e resíduos sólidos”, criticou.

O BE referiu que, de acordo com dados da ERSAR, em 2020, “a Águas do Planalto fornecia a água mais cara do país, só superada pela INDAQUA nos concelhos de Santo Tirso, Trofa e Vila do Conde” e que, “dos 25 municípios com a água mais cara do país, 24 têm este serviço concessionado a uma entidade privada”.

Ainda que, nos últimos anos, os presidentes de câmara destes concelhos tenham percebido “que o preço é realmente elevado”, o BE lamentou que os anúncios que fizeram não tenham passado “de reduções fantasma ou reduções insignificantes”. “Cabe-nos lutar para que a concessão não se estenda por mais tempo e assim não prejudique as populações, que já são ‘per si’ prejudicadas devido a viverem em territórios de baixa densidade populacional”, realçou.

 

LEIA TAMBÉM

Acidente mortal no IC3 obrigou ao encerramento do trânsito

Uma pessoa morreu e outras duas ficaram feridas na sequência de uma colisão frontal entre …

Mónica Quintela diz que os deputados eleitos pelo PSD vão “alavancar o distrito de Coimbra”

A cabeça de lista do PSD por Coimbra mostrou-se hoje convicta que o PSD poderá …