Home - Educação - Brás Garcia de Mascarenhas vai representar o distrito na sessão nacional do Parlamento dos Jovens

Brás Garcia de Mascarenhas vai representar o distrito na sessão nacional do Parlamento dos Jovens

 

Hugo Correia Lopes, Joana Carvalho Dinis e Rodrigo Alves Rodrigues foram, ontem, eleitos para representar o Círculo Eleitoral de Coimbra na sessão nacional do Parlamento dos Jovens, que se realiza na Assembleia da República em Lisboa, nos dias 2 e 3 de maio, com transmissão em direto na RTP2.

Os alunos do Agrupamento de Escolas Brás Garcia de Mascarenhas, orientados pela professora Fátima Antunes no âmbito do Clube Europeu, reuniram as preferências numa sessão realizada em Miranda do Corvo e presidida por Horácio Antunes, deputado do PS na Assembleia na República.

Participada por 22 escolas do distrito, num total de 66 alunos, a sessão distrital versou sobre o tema “A Violência em Meio Escolar /Bullying” que este ano serve de mote ao programa do Parlamento dos Jovens.

Na defesa do Projeto de Recomendação do Círculo de Coimbra, os alunos do Brás Garcia de Mascarenhas fazem-se ainda acompanhar por dois alunos da Escola Secundária de Oliveira do Hospital, que ficaram em segundo lugar, e três colegas do Colégio de Quiaios, que terminaram a sessão em terceiro lugar. Para além destes, também o aluno Hugo Lopes, do Brás Garcia de Mascarenhas foi eleito porta-voz do Círculo Eleitoral de Coimbra.

Através do Projeto de Recomendação que vai apresentar na sessão nacional, o círculo de Coimbra propõe a criação, nas escolas, de gabinetes multidisciplinares (psicólogo, assistente social, médico, professor, GNR) para deteção, intervenção e acompanhamento às vítimas (agressores e agredidos) de violência.

À Assembleia da República é ainda proposto que legisle no sentido de assumir práticas preventivas, visando a formação do cidadão, nomeadamente palestras para alunos e encarregados de educação, blog para esclarecimento e formação pessoal e marco de recepção SOS violência. Paralelamente, os estudantes propõem a criação de estruturas de gestão de procedimentos redutores de atos de violência, designadamente equipas de vigilância, provedor de Não Violência e medidas penalizadoras para os agentes ativos de bullying.

LEIA TAMBÉM

Escolas de Seia do 1º ciclo munidas com novos equipamentos informáticos

As escolas do 1º ciclo do Agrupamento de Escolas de Seia foram apetrechadas com novos …

“[Temos de] alertar para a necessidade de políticas que valorizem e dinamizem o nosso território [interior de Portugal]”

Com 22 anos, o jovem oliveirense Michael Nunes está no último ano de mestrado em …