Home - Outros Destaques - CM Oliveira do Hospital cancelou concurso para exploração do Café Central, apesar de existir uma proposta

CM Oliveira do Hospital cancelou concurso para exploração do Café Central, apesar de existir uma proposta

O Café Central em Oliveira do Hospital dificilmente vai abrir este Verão. É que a Câmara Municipal de Oliveira do Hospital decidiu anular o concurso público para “Cessão de exploração do estabelecimento de cafetaria, denominado “CAFÉ CENTRAL”,  alegando a crise sanitária do país. O município tomou esta decisão apesar de existir uma proposta entregue dentro do prazo (até 30 de Abril).

O concurso para exploração deste estabelecimento, que se situa, no Largo Ribeiro do Amaral, no coração de Oliveira do Hospital, foi cancelado, segundo a autarquia, por unanimidade em reunião de executivo. “Constatou-se que este momento não é o mais favorável, tendo em conta a conjuntura económico e financeira que actualmente se vive a nível nacional e internacional, compromete-se a reabrir o concurso em questão posteriormente num momento mais oportuno”, refere a autarquia.

Esta decisão surge numa altura em que os municípios procuram incentivar as esplanadas, com a Câmara de Oliveira do Hospital a isentar de taxas as esplanadas, uma medida, que vigorará até 31 de Dezembro deste ano. “Pretende não só contribuir para a retoma da actividade económica, mas também para a segurança dos trabalhadores e cidadãos, no âmbito das recomendações da Direcção Geral da Saúde para travar a Covid-19”, explica uma nota da autarquia, que não faz qualquer referência ao facto do Café Central ser um local com uma explanada muito forte.

Este alargamento de esplanadas, pode ser concedido a restaurantes, cafés e pastelarias que, mediante requerimento a apresentar no balcão único da Câmara Municipal com fotografia ou planta de localização do local a ocupar, estejam em condições de cumprir as regras de distanciamento social recomendadas pelas autoridades de saúde e determinadas pelo Governo, no plano de desconfinamento. Com esta decisão, que resulta de uma deliberação camarária, aprovada por unanimidade, dia 14 de maio, na reunião do executivo, os proprietários dos estabelecimentos abrangidos têm assim a possibilidade de aumentar o distanciamento entre mesas de esplanada, aumentando a capacidade dos espaços sem pôr em causa as regras do distanciamento social.

LEIA TAMBÉM

João Dinis acusa CM de Oliveira do Hospital e José Carlos Alexandrino de falta de respeito para com Assembleia de Freguesia e vítimas dos incêndios

O membro da Assembleia de Freguesia da União de Freguesias de Ervedal e Vila Franca …

UF de Santa Ovaia e Vila Pouca da Beira lembrou vítimas dos incêndios

Num dia em que muitos populares se manifestaram indignados com as festas agendadas para a …