Home - Destaques - Câmara de Oliveira acusa autores de “carta aberta” de “aproveitamentos políticos”

Câmara de Oliveira acusa autores de “carta aberta” de “aproveitamentos políticos”

O Centro Educativo de Nogueira do Cravo vai entrar em funcionamento no próximo dia 2 de setembro. A garantia é dada pela Câmara Municipal de Oliveira do Hospital num comunicado, onde associa os autores da “carta aberta” dirigida à vereadora da Educação à candidatura do PSD à autarquia e denuncia o seu intuito “político-partidário”.

“Fazer politiquice e atacar o executivo municipal”, é a leitura que a Câmara Municipal de Oliveira do Hospital faz da carta aberta que encarregados de educação dos alunos de Santa Ovaia, Galizes e Senhor das Almas remeteram, esta semana, à vereadora da Educação com conhecimento da comunicação social e onde se queixavam de “falta de informação” relativamente à entrada em funcionamento do Centro Educativo de Nogueira do Cravo.

Em comunicado também dirigido à comunicação social, a autarquia oliveirense começa por estranhar a inexistência de qualquer assinatura na missiva dirigida à vereadora Graça Silva pelo que não tem dúvidas do “intuito político-partidário” – “lamenta-se e rejeita-se”, refere a autarquia – de uma carta que foi redigida “única e exclusivamente para fazer politiquice e atacar o executivo municipal”.

Sem qualquer hesitação em associar a “carta aberta” a “pessoas afetas à candidatura autárquica do PSD à Câmara Municipal”, o executivo condena o recurso a “instrumento de política partidária”, sem que tivesse havido a preocupação de “apurar a verdade dos factos, que será fácil de obter”. O município não tem dúvidas de que o objetivo foi “criar um incidente político enformado pela má fé a que este movimento tem vindo a habituar os oliveirenses”.

No mesmo comunicado, o executivo a que preside José Carlos Alexandrino sossega as famílias e professores com a certeza de que “os alunos passarão a beneficiar de um moderno Centro Educativo”. “Da parte do município tudo está planeado e programado para que o arranque do próximo ano letivo se processe com toda a normalidade e com um amplo envolvimento de todos os interessados”, assegura o município não deixando de, também, notar que o processo de constituição do mega agrupamento “atrasou os procedimentos do arranque do próximo ano letivo”.

Para evitar “aproveitamento políticos abusivos”, o município informa que o novo espaço vai funcionar, a partir do próximo dia 2 de setembro, com as valências de Complemento de Apoio à Família e Atividades de Tempos Livres e com refeições asseguradas. Um funcionamento que – conforme comunicado – “está de acordo com o calendário escolar que é fixado pelo Agrupamento de Escolas de Oliveira do Hospital”.

Em causa está a abertura de um Centro Educativo que resulta de um investimento de um milhão e 250 mil Euros e que “representa um investimento na qualidade do ensino ministrado no município de Oliveira do Hospital, sendo o único Centro Educativo criado neste concelho”.

“Enquanto a política de alguns, poucos, é atacar o investimento feito na melhoria da qualidade da educação no concelho, a política da Câmara é continuar a investir na melhoria das condições pedagógicas e educativas”, sustenta ainda o município, voltando a lamentar a decisão da ex-DREC e do governo de extinguir quatro agrupamentos de Escolas e a Secundária “penalizando a qualidade educativa”.

LEIA TAMBÉM

Vila Nova de Poiares lança projecto que visa combater desperdício alimentar

O Município de Vila Nova de Poiares apresentou publicamente um projecto que pretende promover práticas …

Luciano Ribeiro defende como prioritário para Seia a saúde e educação

A Câmara Municipal de Seia atribuiu os pelouros aos vereadores do novo executivo municipal, presidido …