Home - Últimas - Candidato do PSD assegura que conseguiu equilíbrio financeiro da CM de Celorico da Beira e que o concelho está “recuperar o respeito perdido”

Candidato do PSD assegura que conseguiu equilíbrio financeiro da CM de Celorico da Beira e que o concelho está “recuperar o respeito perdido”

O recandidato do PSD à Câmara Municipal de Celorico da Beira assegurou, durante a apresentação dos vários elementos que concorrem por aquele partido aos diversos órgãos autárquicos do concelho, que nestes primeiros quatro anos em que liderou a autarquia alcançou os principais objectivos: o equilíbrio financeiro e o estabelecimento da paz social.

Carlos Ascensão sublinhou ainda que seguiu o conselho de um amigo autarca experiente que lhe disse que nas primeiras eleições têm de se escolher nomes para ganhar e no segundo pessoas competentes para trabalhar. “Foi também um objectivo conseguido, porque estão aqui os melhores para trabalhar”, referiu no palco onde se encontravam os elementos que o acompanham na corrida ao executivo da autarquia. “Celorico da Beira está a recuperar o respeito perdido”.

O líder da candidatura social-democrata, que se recandidata depois de ter retirado a autarquia aos socialistas, explicou que a Câmara Municipal de Celorico da Beira saiu em Fevereiro do processo saneamento financeiro, por excesso de endividamento e, para que tudo fique devidamente regularizado, falta apenas o visto do Tribunal de Contas. “Pagámos mais de seis milhões de euros de longo prazo nestes quatro anos. Temos boas contas e isso é meio caminho andado para que as coisas é que funcionem. Estamos a pagar a 30 dias localmente e o mais tardar a 90 dias fora do concelho”, salientou, enfatizando que encontrou uma “situação era adversa”, com um “estrangulamento financeiro terrível”.

Carlos Ascensão utiliza estes argumentos para justificar o facto de só agora existirem obras no terreno. Garante que esse facto nada tem a ver com as eleições. “As coisas estão a acontecer agora, mas apenas por causa da burocracia e também porque não havia dinheiro. Tivemos de adiar alguns projectos porque não tínhamos como pagar a parte de comparticipação da Câmara Municipal em vários projectos”, acentuou. “No ano passado tivemos um superávite de mais de um milhão de euros”; continuou.

O autarca fez questão de salientar que o seu executivo apostou na educação com a remodelação das escolas de Santa Luzia e São Pedro, dotando-as dos melhores equipamentos. “Estão também a decorrer as obras na C+S e está adjudicada a escola da Lageosa”, frisou, chamando a atenção para as medidas ambientais que foram tomadas, como a construção de ETARS ou o processo em todo o concelho de substituição das luminárias publicas convencionais por lâmpadas Led. “É caso único no país. Vai permitir um elevado consumo de energia e uma maior qualidade do serviço e é também importante como factor de sustentabilidade ambiental”, conta, recordando que está em andamento também a reabilitação das piscinas municipais.  “Era uma obra que tardava e que se está a concretizar. Podem lá ir ver porque já se notam diferenças significativas. Não são simples paliativos, mas sim intervenção de fundo que tem os seus custos. A população terá ali um espaço para a prática de natação e outras actividades”, concluiu.

Candidato promete intervenção na EN 16 entre Celorico e Fornos e apoio ao comércio

O autarca deixou ainda a promessa que no próximo mandato será realizada uma intervenção profunda na EN 16 que liga Celorico da Beira a Fornos de Algodres e que se encontra muito degradada. Carlos Ascensão explicou que a obra representará um investimento superior a um milhão de euros. “A estrada é responsabilidade do município, porque no devido tempo alguém recebeu os encargos com a via e o envelope financeiro, mas nunca realizou as obras. Agora, vamos fazer uma intervenção, porque temos condições financeiras para isso”, explicou.

Carlos Ascensão assegurou que também já foi aprovado em executivo uma verba para ajudar a economia local no âmbito da COVID-19 e que a mesma será brevemente distribuída, a começar “por aqueles que tiveram de encerrar as portas dos seus estabelecimentos”. “Aprovámos também uma verba para dar aos produtores de gado. Todos esses apoios vão melhorando com a melhoria das condições financeiras. Além disso, já estão em curso medidas no âmbito da COVID-19 que se forem contabilizadas são significativas. Temos também o compromisso com a Altice de estender a fibra ao que ainda falta no concelho. Quem vier a Celorico pode trabalhar da mesma forma que trabalha em qualquer das grandes cidades”, acentuou, prometendo também dar mais atenção ao rio Mondego e à necessidade de uma praia fluvial. Deixou também o compromisso de construir uma quinta pedagógica em oito hectares de terreno da autarquia, bem como uma praça do município junto aos Paços do Concelho, com um estacionamento subterrâneo.

LEIA TAMBÉM

Militar ferido em colisão entre duas motas da GNR na A25 na Guarda

Duas motas da GNR da Guarda colidiram esta terça-feira de manhã na estrada A25 sentido …

Semana europeia da mobilidade assinalada com ciclismo nas escolas de Seia

O Município de Seia, a propósito da Semana Europeia da Mobilidade, e operacionalizada pela Associação …