Home - Outros Destaques - CDU considera SONAE – ARAUCO em Oliveira do Hospital “um barril de pólvora” e exige respostas à autarquia e ao Governo

CDU considera SONAE – ARAUCO em Oliveira do Hospital “um barril de pólvora” e exige respostas à autarquia e ao Governo

A CDU considera unidade fabril – SONAE – ARAUCO – de aglomerado de madeira, em Oliveira do Hospital, um “barril de pólvora”, aos pés de muitas camas e dentro das Povoações. Os comunistas referem que a população da zona tem razões para estar preocupada, uma vez que a fábrica, que labora 24 horas por dia, está instalada dentro de área urbana, praticamente em cima de muitas habitações e equipamentos de vários tipos e com “um mar de madeira e estilha acumulado dentro dos terrenos da unidade fabril. Mesmo em frente, muito perto, ficam várias habitações de S. Paio de Gramaços…”.

Os elementos da CDU consideram que a situação foi agravada após os incêndios de 2017 quando foi construída e acrescentada mais uma unidade ao complexo fabril. “Saliente-se que esta construção foi feita no terreno separado, por uma estrada municipal, do principal recinto industrial, no sítio onde antes havia um enorme estaleiro de madeira para estilha, a utilizar como matéria-prima na Fábrica, e que ardeu violentamente e por completo nesses Incêndios”, referem, frisando que “um enorme armazém, este situado dentro do espaço do acrescento fabril (fica do outro lado da Estrada que vai desde a EN 17  para dentro de S. Paio de Gramaços), transborda de estilha de madeira, ali, a menos de 50 metros das primeiras habitações situadas desse lado da Fábrica e que também já lá estavam bem antes da construção (2018/19) deste acrescento à unidade fabril”, acusam.

Esta força política quer saber que entidade pública autorizou a construção do acrescento à unidade fabril após os incêndios de 2017. “E se não houve essa autorização, que fazem o Ministério do Ambiente mais o Ministério e da Economia e o Governo para regularizar aquela situação que também concentra mais perigo tal como está”, questionam, solicitando ainda quais são os pareceres da “Protecção Civil” do concelho de Oliveira do Hospital e do distrito de Coimbra “perante uma situação que toda ela concentra perigo face à eventualidade de haver algum incêndio mais intenso e nem sequer tem que ser idêntico ao de 2017”. “Por que razão nunca quiseram publicitar os ‘pareceres’ que regularmente é suposto elaborarem sobre a situação geral desta grande fábrica e sobre o perigo e consequências previsíveis, por exemplo, em caso de incêndio mais violento?”, perguntam.

Os responsáveis da CDU asseguram que vão levar o caso, mais uma vez, até às entidades com responsabilidades directas e indirectas nestas matérias, e designadamente à Câmara Municipal de Oliveira do Hospital e à “Protecção Civil”, ao Governo e à Assembleia da República.  “E também à Opinião Pública”, rematam, enfatizando que se reclama “por respostas esclarecedoras e por uma intervenção de facto correctora destes perigos bem detectáveis, ali, naquela grande unidade fabril – SONAE – ARAUCO – dentro de S. Paio de Gramaços, no concelho de Oliveira do Hospital, em cima da área urbana da Cidade”!.

“Embora seja óbvio, todavia aqui se refere que não se pretende fazer encerrar, de modo algum, esta grande Unidade Fabril embora ela já não seja o que foi pois, actualmente, a multinacional ARAUCO (base chilena) já detém pelo menos metade do capital da Empresa. Pretende-se, tão só, voltar a alertar para perigos reais e para a necessidade da mesma Empresa salvaguardar – de forma mais visível e tranquilizadora – o perigo de incêndio  e de também respeitar a preservação do ambiente desde logo a Ribeira de Cavalos. E também se reclama das Entidades Públicas da tutela que tudo façam para que assim aconteça que já basta dos abusos desastrosos da parte daqueles conhecidos como “os que mandam nisto tudo”, concluem.

 

LEIA TAMBÉM

Oliveira do Hospital com quatro novos casos de COVID-19

O Município de Oliveira do Hospital registou nos dois últimos dias quatro novos casos de …

Fernando Tavares Pereira denuncia risco de desaparecimento do Centro de Exames de Tábua depois de receber pedido de ajuda

O Candidato à Câmara Municipal de Tábua, Fernando Tavares Pereira, denunciou ontem, que o  Centro …