Home - Destaques - CDU critica Francisco Rolo e apresenta medidas a longo prazo para “recuperar e acabar com degradação” ambiental em Oliveira do Hospital

CDU critica Francisco Rolo e apresenta medidas a longo prazo para “recuperar e acabar com degradação” ambiental em Oliveira do Hospital

Os candidatos autárquicos da CDU apresentaram ontem no Parque do Mandanelho um conjunto de medidas ambientais que consideram fundamentais para o futuro do concelho de Oliveira do Hospital. Aquela força política considera necessário um entendimento a longo prazo para defender os recursos e património natural da região que dizem estar a degradar-se a um ritmo “alucinante”. O líder da candidatura, João Dinis, não poupou ainda criticas ao actual candidato do PS à presidência da Câmara oliveirense, Francisco Rolo, pelo “papel desastroso” que, no seu entender, desempenhou ao longo dos anos como vereador do ambiente. João Dinis quer também “mais competência nesta área e a aplicação de um conjunto de medidas ecológicas”, lembrando que “há várias centenas de imigrantes que vivem no concelho devido à beleza natural do território”.

“É algo que temos de preservar. Mas como está o ambiente no concelho? Uma vergonha”, perguntou e respondeu de uma tirada o candidato a presidente da autarquia pela CDU. “Estão na linha da frente [candidatos do PS], mas é da propaganda, não nas nas medidas essenciais para se viver melhor”, disparou, numa alusão ao “slogan” apresentado pelos socialistas. “Esta gente tem de compreender que, a par do trabalho e da saúde, o ambiente é o tema mais importante das nossas vidas”, continuou, acusando José Francisco Rolo de ter permitido a “devassa do rio Mondego”, bem como a perda da bandeira azul na praia de Avô. “É uma clara incompetência”, resumiu.

João Dinis questiona também o que tem sido feito em termos de reflorestação depois dos incêndios de 2017 e qual o cuidado em relação aos rios e ribeiras. “Nada ou quase nada”, responde, enfatizando que a CDU propõe um programa ambiental a 20 ou 30 anos, sublinhando que as autarquias têm de estar na linha da frente destas coisas importantes. O responsável da CDU defende mesmo a abertura do debate a toda a comunidade, lembrando que apresentou, há já vários anos atrás, uma proposta na Assembleia Municipal de Oliveira do Hospital –  proposta que que foi aprovada – para a criação do “Provedor Municipal do Ambiente”. Seria, explicou, uma entidade autónoma em relação à Câmara e com funções de defesa do Ambiente, com ligação ao território, à população e a outras entidades.

“Pois apesar  dessa proposta da CDU ter sido aprovada nunca foi concretizada”, lamentou João Dinis que promete retomar o assunto e apostar na despoluição e fruição dos rios e ribeiras. Defende ainda a construção de uma ETAR colectiva, comum aos concelhos de Oliveira do Hospital, Seia e Gouveia, para concentrar e tratar os efluentes agro-pecuários, em especial os das queijarias. A CDU exige também à nova empresa  intermunicipal “Águas Públicas da Serra da Estrela” a recuperação das ETAR domésticas com funcionamento deficiente. “Não pode ser uma empresa criada para reformados políticos e afilhados”, atirou.

Os comunistas defendem também uma participação mais activa e eficaz por parte da Câmara Municipal e das Juntas de  Freguesia no acompanhamento e na fiscalização dos “atentados e devassas de leitos e margens dos Rios e Ribeiras para apurar causas e causadores desses atentados e para prevenir outros”.  “O Rio Mondego tem sido sujeito a devassa continuada sobretudo com a extracção ilegal  de areias do leito e das margens. Mas também com outros atentados como a poluição e até a mortandade de peixes como aconteceu no Verão passado”, frisou, sublinhando que não se podem estar a fazer investimentos de milhares de euros, entre outros, para recuperar o Açude da Ribeira, no Rio Seia, “quando só este ano foram conhecidas três descargas poluentes naquele rio e a água está imprópria para ser utlizada”.

A CDU propõe, finalmente, a criação de uma Comissão Municipal do Ambiente e Recursos Naturais. Seria uma entidade autónoma e muito  representativa, coordenada pelo “Provedor Municipal do Ambiente”. A sua função passaria por acompanhar a situação e propor, para aplicação prática, um conjunto integrado de  ideias e projectos capazes de fazer avançar bem a recuperação e a melhoria ambientais  do município e da região.

 

 

 

LEIA TAMBÉM

Casos de COVID-19 dispararam em Oliveira do Hospital nos últimos quatro dias

O concelho de Oliveira do Hospital continua a ver o número de infectados com a …

COVID-19 continua a aumentar em Oliveira do Hospital

O município de Oliveira do Hospital deu hoje conta que os casos de COVID-19 continuam …