Home - Outros Destaques - CDU promoveu “marcha lenta” para lembrar necessidade de avançar com IC6

CDU promoveu “marcha lenta” para lembrar necessidade de avançar com IC6

A CDU promoveu ontem uma marcha lenta, num percurso entre o final do actual IC6 (ainda no concelho de Tábua) até Seia, pela EN 17, em defesa da continuação do Itinerário Complementar nº 6. O evento contou com algumas dezenas de viaturas que seguiram à média de uns 30 Km à hora, contando entre os participantes com os cabeças de lista da CDU às autarquias municipais de Arganil – Tábua – Oliveira do Hospital – Seia.

“A CDU pretendeu chamar a atenção para a importância que tem a continuação da obra do IC6 – que se encontra parada há pelo menos 15 anos – enquanto sobram as promessas sucessivas por parte dos governos do PSD mais CDS/PP e do PS, promessas que não são cumpridas.  Tudo isto tem acontecido perante a passividade de facto dos principais Autarcas da região — eleitos pelo PSD com ou sem o CDS/PP e pelo PS – que se têm mostrado docilmente subservientes perante o autêntico desprezo que os governos sucessivos demonstram pela continuidade desta obra tão importante para as Populações e para a Região”, referiu o candidato a Oliveira do Hospital João Dinis.

Este responsável da CDU considera o IC 6 é uma obra estruturante para a Região, que necessita de boas estradas para se desenvolver, para atrair investimentos e postos de trabalho e se aproximar de níveis de vida de outras regiões mais de litoral. “Uma obra estruturante a ligar outras rodovias importantes como os futuros IC 7 para a Covilhã e o IC 37 desde Viseu a Seia e ao já actual A 25 este em Celorico da Beira”, continuou, considerando que se trata de uma obra urgente também por causa de segurança rodoviária. “A 19 de Setembro ocorreu na EN 17, perto do final do actual IC 6, mais um acidente grave aliás dentro da sequência de outros acidentes que com frequência por ali ocorrem”, exemplificou.

“Diga-se ainda que os proprietários de terrenos por onde é suposto vir a passar o avanço do IC 6 estão com os seus terrenos cativados por ‘servidão pública’ desde 2010 quando saiu mais um dos ‘estudos prévios’ para definir o percurso, portanto esses proprietários não podem mobilizar os seus terrenos para qualquer iniciativa própria que interfira com eles”, continuou o homem que pretende liderar a Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, concluindo que “a CDU é a força que mais e mais intransigente se tem batido pela continuação da obra do IC 6”.

LEIA TAMBÉM

CDS-PP de Oliveira do Hospital acusa socialistas de desrespeitarem eleitores na Freguesia de São Gião

A Comissão Política Concelhia do CDS-PP de Oliveira do Hospital lamentou ontem que os elementos …

João Dinis acusa CM de Oliveira do Hospital e José Carlos Alexandrino de falta de respeito para com Assembleia de Freguesia e vítimas dos incêndios

O membro da Assembleia de Freguesia da União de Freguesias de Ervedal e Vila Franca …