Home - Últimas - China começa a testar vacina contra a COVID-19 nos militares

China começa a testar vacina contra a COVID-19 nos militares

A China vai começar a administrar nos militares a vacina experimental para a Covid-19 desenvolvida pela unidade de pesquisa militar e pela CanSino Biologics. Testes clínicos iniciais terão provado que a vacina era segura e os primeiros resultados indicam que também que terá alguma eficácia no combate ao vírus. A Ad5-nCoV é uma de oito candidatas a vacina aprovada para testes em humanos tanto na China como no estrangeiro, tendo sido já aprovada, por exemplo, no Canadá.

A Comissão Militar Central da China aprovou o uso da vacina pelos militares a 25 de Junho e por um período de um ano, disse a CanSino em comunicado. A vacina que está ainda está em testes foi desenvolvida em conjunto pelo CanSino e pelo instituto de pesquisa da Academia de Ciências Militares (AMS). “Actualmente, a Ad5-nCoV está limitada apenas ao uso militar e o seu uso não pode ser expandido para uma vacinação mais ampla sem a aprovação do Departamento de Suporte Logístico”, disse a CanSino, referindo-se ao departamento da Comissão Militar Central que aprovou o uso militar da vacina. A CanSino recusou-se, no entanto, a divulgar se a injecção da vacina aos militares seria obrigatória ou opcional, alegando segredos comerciais.
.
Os ensaios clínicos de Fase 1 e 2 da candidata a vacina da CanSino mostraram que tem o potencial de prevenir doenças causadas pelo coronavírus, que já matou meio milhão de pessoas em todo o mundo. No entanto, esclarece de imediato a empresa, o sucesso comercial não pode ser garantido. De referir que até ao momento não existe qualquer vacina aprovada para uso comercial. E das mais de 100 vacinas que estão em estudo apenas cerca de uma dúzia estão a ser testadas em humanos.

LEIA TAMBÉM

GNR de Viseu deteve sete assaltantes

O Núcleo de Investigação Criminal (NIC) da GNR de Viseu deteve, ontem, sete homens, com …

Direito de resposta da notícia publicada na edição do “Correio da Beira serra”, datada de 3 de Junho, com o Título “MÉDICO DA ASTRAZENECA EM JULGAMENTO MILIONÁRIO NO TRIBUNAL DE TÁBUA”.

Eu, Hugo Gomes da Silva, venho por este meio exercer o direito que me assiste …