Home - Região - Oliveira do Hospital - CM de Oliveira do Hospital devolve IMI a associações e colectividades concelhias
CM de Oliveira do Hospital devolve IMI a associações e colectividades concelhias

CM de Oliveira do Hospital devolve IMI a associações e colectividades concelhias

A Câmara Municipal de Oliveira do Hospital (CMOH) vai devolver o Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) que as associações e colectividades concelhias pagaram em 2014, através da atribuição de um subsídio.

“A decisão, aprovada por unanimidade em reunião do executivo camarário, dia 13 de Novembro, constitui um reconhecimento ao contributo do movimento associativo que, apesar dos seus parcos recursos financeiros, vem desempenhando um papel fundamental no contexto da dinamização da sociedade oliveirense nos mais variados domínios. A medida traduz um apoio financeiro municipal ao tecido associativo na ordem dos 7 mil euros”, refere um comunicado da autarquia.

“Com a intenção de fomentar o desenvolvimento do desporto e a prática da actividade física no concelho de Oliveira do Hospital e tendo em conta a grande dinâmica desportiva dos clubes, associações e escolas do concelho, a CMOH deliberou também, por unanimidade, firmar um protocolo com 16 entidades para o desenvolvimento de actividades desportivas durante a época 2014/2015, tendo em vista a isenção total ou parcial do pagamento de taxas pela utilização do pavilhão desportivo municipal, piscinas municipais e campos de ténis”, continua a missiva, concluindo que com estes protocolos, o Município de Oliveira do Hospital “pretende alcançar uma gestão mais consentânea e racional” destes três equipamentos públicos, que registam uma elevada taxa de ocupação”.

LEIA TAMBÉM

Cartaz do PS em rotunda de Oliveira do Hospital causa polémica e há quem o considere um perigo para o trânsito

Um “outdoor” enorme do candidato do PS à Câmara Municipal de Oliveira do Hospital colocado …

“Há muitos que são obrigados a fazer limpezas e nem têm dinheiro para comer e no domínio público continua tudo maioritariamente abandonado”

Fernando Tavares Pereira considera que o poder central e as autarquias têm de tomar uma …