Home - Outros Destaques - Transferência do Helicóptero do INEM de Viseu para Lisboa “é uma afronta” que pode “colocar em risco vidas humanas” diz grupo de deputados do PSD

Transferência do Helicóptero do INEM de Viseu para Lisboa “é uma afronta” que pode “colocar em risco vidas humanas” diz grupo de deputados do PSD

Um grupo de deputados do PSD considera que a decisão de desviar o helicóptero do INEM para Loures, Lisboa, é “uma afronta” e uma “atitude incompreensível” que, dizem não é novidade, na negligência ou “más opções políticas em matéria de saúde” para a região Centro por parte deste Governo. Estes parlamentares referem mesmo que o Governo “pode colocar em risco vidas humanas”. Os deputados pretendem ainda saber se a Ministra da Saúde está em condições  de garantir o regresso da aeronave a Santa Comba Dão. O deputado do CDS-PP João Pinho de Almeida também questionou a Ministra da Saúde sobre os motivos que levaram a esta decisão.

“Não há, portanto, argumento de qualquer natureza que justifique um erro desta dimensão. Cabe ao Governo o dever de garantir uma igualdade no acesso aos cuidados de saúde a todos os cidadãos portugueses. Com esta lamentável decisão, o Governo não só colocará em risco vidas humanas pelo aumento do tempo na assistência, como aumentará os custos das deslocações dos helicópteros” frisam os deputados Pedro Alves, Fernando Ruas, Carla Antunes Borges e António Lima Costa. Estes deputados lamentam ainda que o heliporto da base de Santa Comba Dão não tenha  reunidas as condições técnicas para garantir a segurança nos processos de aproximação e descolagem dos helicópteros do INEM, ao contrário dos da protecção civil que ainda continuam a operar a partir daquela localidade.

Estes deputados Grupo Parlamentar do Partido Social Democrata aproveitam para perguntar à Ministra da Saúde, através do Presidente da Assembleia da República, se tem “conhecimento da decisão do Conselho Directivo do INEM, em deslocar para Loures o helicóptero de apoio à Região Centro, sedeado em Viseu. “Em caso de resposta positiva, tem consciência que a questão essencial desta decisão põe em risco vidas humanas? Em caso de resposta positiva, mantém a concordância com a decisão do CD do INEM?”, questionam, adiantando  que o “reposicionamento do helicóptero do INEM na base de Loures, fora da região de intervenção – entre o Douro Sul e Peniche -, certamente que acarretará mais custos por operação. Qual o valor estimado pelo Governo para reforçar estes encargos?”.

Estes sociais-democratas querem ainda saber se Marta Temido está em condições de afirmar que o helicóptero do INEM voltará a operar a partir do heliporto de Santa Comba Dão. “Em caso de resposta afirmativa, quando está prevista reiniciar a actividade? Em caso de resposta negativa, qual a alternativa encontrada para substituir a base de helicópteros do INEM na Região? Ao longo do hiato de 8 meses do reposicionamento temporário do helicóptero do INEM no aeródromo de Viseu que iniciativas tomou o Governo para garantir que o heliporto de Santa Comba Dão ficaria operacional? Percebendo que tal não seria possível, como não foi, que iniciativas tomou VEXA. para que fosse prorrogada a permanência do helicóptero, em Viseu? Estando em curso a instalação do comando regional de protecção civil no aeródromo de Viseu, bem como o Comando Nacional de Operações de Socorro alternativo, seria avisado que o INEM acompanhasse a ANPC nesta decisão estratégica e operacional. Tem VEXA. previsto algum investimento estratégico desta envergadura para Viseu?”, rematam.

LEIA TAMBÉM

Edição impressa do Correio da Beira Serra nº3

Clique na capa abaixo para ler a edição impressa.

Fernando Tavares Pereira defende “liberdade de expressão” em Tábua

O empresário Fernando Tavares Pereira, candidato do PSD à Câmara de Tábua nas próximas autárquicas, …