Home - Desporto - “Como os políticos se esquecem do interior, os clubes também se esquecem dos núcleos…”

“Como os políticos se esquecem do interior, os clubes também se esquecem dos núcleos…”

Empresário Fernando Tavares Pereira foi homenageado pelo Núcleo do Sporting CP da Ilha de São Miguel…

O Núcleo do Sporting Clube de Portugal da Ilha de São Miguel, nos Açores, homenageou este mês o empresário Fernando Tavares Pereira pela forma como tem ajudado os núcleos do emblema de Alvalade espalhados pelo país. A iniciativa, que contou com a presença do responsável pelo desporto de Ponta Delgada e do presidente da AF de Ponta Delgada, serviu para o polo açoriano de lembrar que o ex-candidato à presidência do Sporting “tem sido uma pessoa que tem apoiado os núcleos leoninos espalhados pelo país, quer pessoalmente, quer através do seu grupo empresarial: a Tavfer, sem tirar qualquer proveito pessoal”.

“O Sporting tem de estar mais atento aos núcleos. É algo que sempre defendi. Tenho ajudado, dentro das minhas possibilidades e do meu grupo, estas estruturas que fazem muito pelo clube, mas não recebem quase nada em troca”, defende Fernando Tavares Pereira, assegurando que apoia e marca presença sempre que lhe é solicitado por estas estruturas espalhadas pelo país. Porque também sente que são alvo de alguma injustiça. “Como os políticos esquecem o interior do país, os clubes também se esquecem os núcleos. E não deviam”, conta.

Fernando Tavares Pereira não escondeu que esta viagem aos Açores foi uma agradável surpresa. Sobretudo, conta, pela dinâmica que se vive naquele núcleo açoriano que não se limita a apoiar o Sporting, mas também procura estimular a prática desportiva, movimentando cerca duas centenas de atletas, em modalidades como o xadrez ou o futsal. “Estes espaços são os grandes divulgadores da marca Sporting. Contribuem para engrandecer um clube que já é grande, mas fica muito maior com os seus núcleos”, conta o empresário, lembrando que estes polos podem também ajudar a encontrar talentos para o clube.

“Todos juntos movimentam milhares de atletas e podem ser um campo de recrutamento. O Sporting devia aproveitar esta mais-valia, mantendo uma ligação estreita com estes adeptos, fornecendo também apoio para que eles possam desenvolver melhor as suas tarefas que no fundo é apoiar e divulgar o Sporting. Esta seria uma forma de crescer e de não perder o que já se conquistou”, sublinha, defendendo também uma aproximação às claques. “Neste caso, porém, admito a necessidade de regras bem definidas para não se confundir o apoio ao clube com outras actividades”, salienta.

“Os núcleos têm o melhor do clube: gente que ama, defende e sofre pelo Sporting a muitos quilómetros de Alvalade. Merecem um carinho que não têm recebido”, sublinha o empresário, assegurando que vai continuar a apoiá-los. Só espera que a direcção do Sporting Clube de Portugal assuma uma atitude “de maior colaboração com estas organizações”. “Quem ficaria a ganhar era o clube que nos anos em que esteve afastado dos títulos contou com estas estruturas para manter o sportinguismo vivo nos mais jovens”, diz, sem esconder que ficou extremamente satisfeito com a iniciativa do Núcleo do Sporting Clube de Portugal da Ilha de São Miguel. “Não ajudo com intenção de receber seja o que for, mas é sempre bom saber que as nossas iniciativas são reconhecidas”, conclui Fernando Tavares Pereira.

LEIA TAMBÉM

“Cantares de Natal e Janeiras” animam freguesias de Arganil na época natalícia

As Tunas de Arganil, Coja e São Martinho da Cortiça voltam a reunir-se na iniciativa …

Deslizamento de terras obriga ao corte de trânsito em Penacova

Um deslizamento de terras, ao início da tarde, provocado pelas condições climatéricas adversas que se …