Home - Destaques - Cristina Oliveira foi constituída arguida por suspeita de difamação
(DR)

Cristina Oliveira foi constituída arguida por suspeita de difamação

A ex directora regional de Educação do Centro e atual candidata do PSD à Câmara de Oliveira do Hospital, Cristina Oliveira, está constituída arguida num processo que lhe foi movido pela ex diretora adjunta daquela estrutura por alegada difamação, informa hoje o Campeão das Províncias.

Segundo avança aquele diário regional, o caso remonta ao período em que Cristina Oliveira era titular na Direção Regional de Educação do Centro, em particular, à última festa de Natal da estrutura e em que a antiga diretora adjunta Maria do Céu Castelo Branco se sentira atingida na sua honra e consideração na sequência de afirmações alegadamente proferidas pela então diretora regional.

“Segundo a autora da participação criminal, Cristina Oliveira indicou nunca ter tido qualquer apoio da parte da pessoa que exerceu a função de directora-adjunta da DREC entre o Verão de 2011 e o Outono do ano seguinte”, avança o Campeão das Províncias, adiantando que , na ocasião, a agora arguida – citada pela participante – terá dito que “as poucas matérias com que [Maria do Céu] ficou acabaram por ser mal conduzidas, dada a sua falta de competência”.

Maria do Céu Castelo Branco renunciou ao lugar de diretora adjunta em dezembro do ano passado acusando Cristina Oliveira de “atropelos aos princípio da legalidade e transparência”, entre outras acusações.

Confrontada há instantes pelo correiodabeiraserra.com com a notícia veiculada hoje – última dia de campanha eleitoral – pelo Campeão das Províncias, Cristina Oliveira recusou-se a prestar qualquer declaração.

Porém em recente entrevista a este diário digital, quando confrontada com as acusações que lhe foram feitas há pouco mais de um ano por Maria do Céu Castelo Branco, Cristina Oliveira disse estar de “consciência tranquila”. “Qualquer pessoa pode vir para os jornais dizer o que bem entende”, afirmou na ocasião a candidata, certa de que a melhor resposta que poderia ter dado foi pedir ao secretário de Estado para abrir o inquérito porque “não tenho nada a temer”.

“Acho que o facto de eu me manter em funções tem o seu significado”, referiu ainda Cristina Oliveira que a pedido do ministro da Educação transitou da DREC (foi extinta) para a Delegação Regional dos Estabelecimento Escolares do Centro, onde ocupa o cargo máximo.

LEIA TAMBÉM

Luciano Ribeiro defende como prioritário para Seia a saúde e educação

A Câmara Municipal de Seia atribuiu os pelouros aos vereadores do novo executivo municipal, presidido …

Vereadores do Unidos por Celorico votam contra subsídio para associação sediada em Gouveia

Os vereadores do movimento Unidos por Celorico, liderado pelo PS, José Albano e Teresa Cunha, …