Home - Região - Oliveira do Hospital - “Cultivo” de Nemátodo na Cordinha… Autor: João Dinis

“Cultivo” de Nemátodo na Cordinha… Autor: João Dinis

A floresta da zona da Cordinha — União das Freguesias de Ervedal e Vila Franca da Beira e Freguesia de Seixo da Beira — está muito atacada pela doença do Nemátodo que dizima o pinheiro bravo de forma bastante evidente. Os prejuízos económicos e ambientais são enormes! Empobrecem a Região e empobrecem-nos a nós.
Entretanto, dezenas ou mesmo centenas de milhar de euros do nosso dinheiro público, têm sido gastas (através de entidades privadas que, assim, andam na engorda…) em acções supostamente destinadas a controlar a doença. Porém, os resultados não são animadores… Quem vem, agora, pedir responsabilidades públicas pelo “fracasso” das várias e convergentes campanhas que tanto dinheiro está a custar?

Estaleiros para recolha e retirada de sobrantes de pinheiro bravo que mais parece serem “ninhos” de Nemátodo…

Durante bastante tempo, de facto, vimos dois locais distintos onde “alguém” acumulava, e fazia transportar, por camiões, troncos e ramadas de pinheiros que tinham sido retirados da Mata das imediações por equipas digamos que especiais. Um desses locais situa-se à beira da EN 231 – 2 – frente à Zona Industrial da Cordinha (Aldeia Formosa – Seixo da Beira).  Outro local é junto da Rotunda, na mesma Estrada, entre Ervedal e Vila Franca da Beira. Tanto quanto julgamos saber, a CAULE, entidade supostamente especializada e que fez aprovar projectos – pagos por dinheiros
públicos – de sinalização e retirada de pinheiros secos – muitos destes mortos pelo Nemátodo – a CAULE era suposto pelo menos supervisionar esta intervenção.
Hoje constata-se que ou não o fez ou, se o fez, fê-lo muito mal.

Portanto, por acção ou omissão, que entidades respondem agora pelo que está a acontecer? E que está a acontecer? Pois, agora, há pinheiros bravos SECOS nesses estaleiros! E há sinais de murchidão em outros pinheiros próximos desses dois locais. No estaleiro, frente à Zona Industrial da Cordinha, ainda há ( 4 Dezembro) dois grandes montes de estilhas provenientes dos sobrantes florestais (mortos por doença ou praga) que ali estiveram acumulados. Quer dizer, os “estaleiros” que serviram para acumular, estilhaçar e retirar pinheiros MORTOS – muitos destes mortos pela doença do Nemátodo – estão, agora, a fomentar a morte de mais árvores, provavelmente pelo Nemátodo!  Quer dizer, o nosso dinheiro público está a servir para a “produção” de Nemátodo ou outro mal da Floresta! No mínimo, no mínimo, tem por ali reinado grave negligência! E quantos estaleiros mais (exactamente aonde) há no nosso Município e na Região toda? E, que entidades respondem agora pelo sucedido? E quem lhes virá assacar responsabilidades públicas pela negligência que indicia ser criminosa?

Ministério da Agricultura e Câmara Municipal têm que apurar
responsabilidades e pedir contas.

Em primeiro lugar, compete ao Ministério da Agricultura apurar responsabilidades em concreto. Foi o Ministério da Agricultura – hegemonizado pelo CDS /PP e pela CAP  –  que aprovou o(s) projecto(s)
de combate ao Nemátodo na zona e, por isso, é a entidade da tutela.

Mas a Câmara Municipal de Oliveira do Hospital não pode assobiar para o lado. No Município também é suposto haver a “Comissão Municipal de Defesa e Protecção da Floresta” da qual o Presidente da Câmara é Presidente por inerência. Pois, desde já se exige à Câmara Municipal uma intervenção enérgica e rigorosa, também com o objectivo de apurar responsabilidades e de se pedir contas a quem negligenciou e, assim, provocou esta preocupante situação.

Da nossa parte, já demos conhecimento formal do assunto. Até para que ninguém possa dizer que não sabia…Espera-se então por providências urgentes.

janoentrev1Autor: João Dinis, (CDU – Oliveira do Hospital)

LEIA TAMBÉM

EUA ultrapassam os 650 mil óbitos!… o número estimado de mortes da Gripe Espanhola. Autor: Carlos Antunes

Os EUA vão a caminho dos 700 mil óbitos e poderão mesmo atingir os 800 …

Em Ano de Autárquicas, Correr Atrás do Prejuízo é o Desporto Nacional. Autor: André Rui Graça

Pelo menos assim parece. O título é claro quanto baste. Irei elaborar melhor o que …