Home - Opinião - “É deveras importante reconhecer a carência de alojamento [em Oliveira do Hospital] para os mais jovens e têm de se arranjar soluções”…

“É deveras importante reconhecer a carência de alojamento [em Oliveira do Hospital] para os mais jovens e têm de se arranjar soluções”…

Nos últimos dias foram conhecidos os resultados das colocações no Ensino Superior. Na ESTGOH, as vagas ficaram quase totalmente lotadas. Tal como o CDS-PP Oliveirense, a Juventude Popular defende que tem de se olhar para a ESTGOH como uma instituição capaz de formar futuros profissionais de excelência e de fixar jovens no nosso Concelho. Para que tal aconteça é importantíssimo que se estabeleçam protocolos entre a Câmara Municipal e a nossa Escola Superior, de forma a desenvolver equipas de trabalho e referências basilares que nos possam ajudar a combater este problema que, infelizmente, parece a não ter fim, porém,  aliado a isto há uma problemática com que o Município se tem debatido há largos anos, o défice de oferta de habitação aos jovens estudantes, défice que para a JP, deve ser combatido olhando para o espaço e ordenamento de território Oliveirense. É deveras importante reconhecer a carência de alojamento para os mais jovens e têm de se arranjar soluções para que estes se instalem de forma digna no nosso concelho.

 Ao longo dos últimos anos, temos visto um emaranhado de investimento em infra-estruturas, a nosso ver despropositadas e reveladoras de falta de visão, de “modernização“de Oliveira de Hospital, mas não vemos algum tipo de apoio ou investimento numa área fulcral para a fixação de pessoas e progressivo desenvolvimento a médio/longo prazo. A ESTGOH iniciou a primeira fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior, do presente ano, segundo dados fornecidos pela DGES e a própria ESTGOH, com um total de 210 vagas, ou seja, mais 10 vagas para receber novos estudantes na instituição e na cidade comparativamente ao ano anterior. O mesmo se passou em 2019, quando a nossa Escola Superior recebeu um aumento de 8 vagas disponíveis. No entanto com o início de mais um ano lectivo e apesar do contínuo aumento de vagas, Oliveira do Hospital, continua na mesma senda naquilo que concerne ao alojamento dos estudantes do ensino superior que são colocados na Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital. Infelizmente, a falta de habitação disponível é razão suficiente para que jovens que foram colocados nesta instituição sejam obrigados a desistir de frequentar a mesma. Ano após ano além de o número de vagas ter aumentado, o que revela um crescimento e reconhecimento da ESTGOH por parte do IPC, temos também sido privilegiados por cada vez mais alunos escolherem a ESTGOH para prosseguir o seu ciclo de estudos. Pena é, que o nosso Concelho não dê garantias mínimas e condignas a estes jovens estudantes para se alojarem na nossa cidade e assim conseguir responder às suas necessidades não deixando, segundo dados noticiados por vários órgãos de comunicação social locais, que estes saiam de Oliveira do Hospital, não pela Instituição, mas sim pela falta de oferta imobiliária. 

A  Juventude Popular de Oliveira do Hospital acha fulcral que se comece a pensar em soluções viáveis e respeitáveis para a juventude sejam estes jovens estudantes ou até mesmo, porque não falar, das também jovens famílias que escolhem a nossa zona para viver, além disso, achamos importante que a ESTGOH comece a ser levada a sério por parte do Executivo Municipal, que se honrem os compromissos e se informem convenientemente os Oliveirenses dos mesmos. A JP promete que no próximo mês irá reunir, debater e apresentar uma proposta viável que responda às necessidades dos jovens estudantes Oliveirenses.

Comunicado da Juventude Popular de Oliveira do Hospital

LEIA TAMBÉM

E o Diabo – o Grande Fogo – desceu à terra!

E o Diabo – o Grande Fogo – desceu à terra! Naquela noite fatídica,  de …

Passados três anos após o Fogo Grande de 15 e 16 de Outubro de 2017, na nossa Região ainda são mais visíveis os danos na Floresta que a sua recuperação… Autor: João Dinis

Lamentavelmente, em milhares de hectares ardidos, continuamos a ver muitos e muitos milhares de (ex) …