Home - Opinião - “É necessário adaptar a realidade formativa às novas atividades locais”. Autor: Nuno Tavares Pereira.

“É necessário adaptar a realidade formativa às novas atividades locais”. Autor: Nuno Tavares Pereira.

Já lá vão mais de seis anos que alertei para o assunto.
.
É necessário adaptar a realidade formativa às novas atividades locais.
.
Não imaginava há tantos anos o que iria acontecer, nem o que aí há-de vir.
.
Uma certeza tinha: a visão da região.
.
Alertei que uma escola como a Eptoliva tinha de ajudar a região quer a nível empresarial, quer a nível da população local. Teria de ir ao encontro do potencial local e das nossas populações. Pois, parece que tudo foi feito ao contrário.
.
A resposta foi que o Ministério não aprovava cursos dessa natureza para cá.
.
Em boa hora Arganil abandonou a escola, pois o que ali gastava e os benefícios que tinham não serviam o seu território.  Mas Tábua e Oliveira do Hospital continuaram a gastar milhares de euros dos nossos impostos locais e também do orçamento de Estado central. E pasme-se! Quem não conhece a realidade de que a maioria dos alunos formados não fica cá?
.
Isto é que gastamos milhares de euros para ter uma escola profissional para formar os nossos jovens. Investimos para também termos professores locais a dar aulas e a não terem de ir para outras paragens. E depois esquecemos que falta mão-de-obra qualificada para sectores como a hotelaria, agricultura, metalúrgica, entre outros, quando os mesmos concelhos estão cheios de desempregados. E não digam que é do Covid-19..
.
A Eptoliva não tem de tirar o lugar aos cursos do centro de emprego, porque nesses o que se aprende não é tão útil como na Eptoliva, mas tem de ocupar o seu lugar no espaço geográfico onde está.
.
Não poderemos tirar o mérito aos alunos que para lá vão estudar e tirar as suas formações, pois têm mérito e alguns até mérito a nível nacional.  Estou a dizer que temos de formar em primeiro lugar os nossos jovens, em segundo, formar para a realidade e necessidade local e, em terceiro lugar, trazer retorno económico, depois de anos a fio de investimento.
.
Não podemos gastar dinheiro e recursos numa escola para formar alunos de outros países, onde lhes é pago tudo e que depois não têm lugar localmente ou não querem cá ficar a trabalhar.
.
Temos de pagar todos os custos aos jovens da nossa terra para estudarem e se formarem em áreas úteis que não aumentem o exodo da região em complemento ao ensino público e superior.
.
Falta de visão de quem quer quantidade e não qualidade formativa.
.
Autor: Nuno Tavares Pereira

LEIA TAMBÉM

Quem for proveniente de Portugal terá que cumprir quarentena à chegada à Suíça

A Suíça vai obrigar todos os viajantes provenientes de Portugal a uma quarentena já a …

Nelas com mais dois pacientes infectados com a COVID-19

Nelas passou a contar hoje com mais dois casos positivos de COVID-19. Os novos casos …