Home - Região - Oliveira do Hospital - Feliz 2015. Autor: João Paulo Albuquerque.
Onde está a caleira? Autor: João Paulo Albuquerque

Feliz 2015. Autor: João Paulo Albuquerque.

Chegamos ao dia 31 de Dezembro, dia de São Silvestre. Terminamos um ciclo de 365 dias (e seis horas), completando mais um ano. Findou o 2014, um ano de grandes dificuldades para a maioria dos Oliveirenses, tendo muitos que procurar o seu sustento e o dos que de si dependem fora do concelho. Por cá, tivemos aumentos das tarifas da água e saneamento, agravamentos do IMI, desbaratamos valências no tribunal, perdemos médicos e enfermeiros, fechamos escolas, pioraram as estradas, desapareceram empresas, enfim foi um “ano horribilis” para os munícipes… Resta-nos esperar que o 2015 seja diferente! Que seja um ano onde as esperanças se concretizem e que os Oliveirenses alcancem dignamente a felicidade.

Felicidade, que os estudiosos contemporâneos dizem não saber definir com precisão o que realmente é…e que os mais antigos aventaram diferentes explicações.

Tales de Mileto, na Grécia Antiga, julgava feliz “quem tem o corpo são e forte, boa sorte e alma bem formada”. Aristóteles afirmava que “a felicidade atinge-se pelo exercício da virtude e não pela posse desta”. Já Sócrates asseverava que a “felicidade seria o bem da alma, através da conduta justa e virtuosa. Para Santo Agostinho, “a felicidade está em continuar a desejar o que se possui.” E Voltaire avisava que “o maior problema e o único que nos deve preocupar é vivermos felizes”. Kant, mais terrenamente, diz-nos que “a felicidade está no âmbito do prazer e desejo, e não há relação com Ética”. A eterna busca da felicidade passou a ser “direito do homem”, estando consagrada na Constituição dos Estados Unidos da América, de 1787, redigida de acordo com o Iluminismo, incluindo-se entre os direitos inalienáveis do Homem. “Felicidade” essa que para Guerra Junqueiro consistia em três pontos: trabalho, paz e saúde.

E procurando também eu a minha felicidade, como munícipe, vou às doze badaladas cumprir a tradição e pedir os meus desejos para o novo ano. Em doze segundos, terei que deglutir as passas algarvias, esperando que esses desejos se tornem realidade. São simples, como podereis ver, e não passam de direitos que a Lei nos concede e que o bom senso aconselha:

1ª Passa: vou desejar saber quanto custou aos munícipes a equipa multidisciplinar formada para ajudar a resolver os problemas existentes nas águas, lixos e saneamentos.

2ª Passa: vou desejar saber quem são os corpos gerentes da BLC3 e quanto custa à CMOH esta plataforma.

3ª Passa: vou desejar saber qual o projecto arquitetónico da BLC3 para a ACIBEIRA, quem o fez, quando o fez e quanto custou.

4ª Passa: vou desejar saber porque é que a BLC3 entregou a fiscalização da obra a alguém fora do concelho directamente por 74990€, quando os serviços camarários o podiam ter feito a custo zero.

5ª Passa: vou desejar saber o resultado do relatório que a BLC3 ficou de enviar até hoje à CMOH, referente, entre outros pontos, à ajuda à equipa multidisciplinar e que para tal recebeu 60 mil euros:

6ª Passa: vou desejar saber porque é que as obras concelhias de maior valor e com ligação ao município são ganhas consecutivamente pela empresa CIP-Construções SA:

7ª Passa: vou desejar saber se a ocupação do Pavilhão na ZI da Cordinha cumpre os acordos de arrendamento que estão definidos.

8ª Passa: vou desejar saber se a Fundação Dona Maria Emília Vasconcelos Cabral é actualmente algo mais do que um mero canil.

9ª Passa: vou desejar saber se empresas de informática podem concorrer à limpeza das margens e leito dos rios do concelho, que alvará é necessário para tal?

10ª Passa: vou desejar saber quais são as diversas intervenções no Centro Educativo de Nogueira entregues à CIP-Construções, SA que nos custam 30.766,63 €, quando esta empresa efetuou a obra principal, estando ainda no prazo de garantia de 5 (cinco) anos.

11ª Passa: vou desejar saber quanto se poupou em energia eléctrica e quanto se pagou à equipa criada pela câmara e liderada por Rui Coelho para esse efeito. Para saber se o que pouparam paga o que se gasta com essa equipa.

12ª e última Passa: vou desejar saber quanto se encaixou financeiramente com o aumento das taxas e tarifas da água, lixo e saneamento.

Depois de vos dar a conhecer estes meus 12 desejos, enquanto munícipe, quero acreditar que o sonho de querer ser feliz em Oliveira do Hospital não se desvanecerá. Que 2015 seja um Ano de agradáveis surpresas.

Bom Ano a todos.

Onde está a caleira? Autor: João Paulo AlbuquerqueAutor: João Paulo Albuquerque

LEIA TAMBÉM

CDU mantém a Junta de Freguesia de Meruge e Nogueirinha e aumenta votação para a Câmara. Autor: João Dinis

A CDU mantém a freguesia de Meruge (com Nogueirinha) com maioria absoluta de 4 eleitos …

“O Deus Sol” continua a “cantar vitória com a força toda, apesar de…” Autor: António Lopes

Tal como tinha previsto, foram 4-3, porque o António José Cardoso, ficou aquém das expectativas. …