Home - Opinião - “Festival Autárquico 2021, o Ballet Rose e a Dança dos Candidatos aos Títulos e aos Tachos”

“Festival Autárquico 2021, o Ballet Rose e a Dança dos Candidatos aos Títulos e aos Tachos”

Para o «Festival Autárquico» de 2021

O «Ballet Rose» e a (desafinada) «Orquestra Laranja»

Ensaiam já a “Dança dos Candidatos aos Títulos e aos Tachos».

«Ballet Rose» («Balé Rosa») é título de um livro, tipo narrativa, e de uma série televisiva nacional que passou há uns anitos. Baseiam-se estas edições num «espetacular» escândalo cívico e sexual protagonizado por personalidades, supostamente impolutas e carregadas de «moral», do regime fascista de Salazar.  Vale a pena revisitar o livro e a série.

Agora, ao repescarmos esta formulação pretensiosa de «Ballet Rose», não vamos investigar «escândalos» do género mas, mais, pretendemos aflorar movimentações ensaiadas pela maioria «rosa» – afeta ao PS – já com os olhos e outros «sentidos» postos nas próximas eleições autárquicas no concelho de Oliveira do Hospital as quais, e em princípio, se vão realizar em Outubro do próximo ano de 2021.

O «Ballet Rose» Oliveirense tem um numeroso naipe de «artistas» arregimentados pelo sistema vigente manipulado pela maioria PS.  Neles, sobressai o «bailarino» solista que faz por introduzir a sua própria coreografia em sucessivas peças, executadas em privado e em público.

Tem ele um estilo vincadamente improvisador o que não sendo desde logo um defeito, todavia, acaba por ser um excesso de protagonismo, uma sede insaciável de «palco».  Nas letras coreografadas que impõe, ressalta muito o «eu…eu…eu», afinal uma nota só, monocórdica, de um «artista» rodeado de admiradores e bajuladores oportunistas.  Com caraterísticas para (tentar…) interpretar uma versão simplificada de uma peça com título «O Reizinho Sol», (de Oliveira do Hospital e arredores), peça que ainda falta escrever.

No seu estilo popularucho, muitas vezes pretende dançar com o público em coreografias cheias de beijocas e de auto-fotos («selfies») a cavar afetos (paga direitos de autor…).

Estimulado, dá saltos descompassados, desafina com frequência, chega a estatelar-se no chão por entre o Pessoal.  E faz tudo isso enquanto repete e repete todos os já conhecidos refrões com as promessas do estilo, a cavar votos e obrigações.  Nisso, é mesmo um refinado «artista» a ponto de convencer a maioria de que é  um autarca fora de série.  Nós cá preferimos dizer, para alertar o Povo: «O Reizinho vai nu!»…

E à sua volta pululam os oportunistas  e outros servidores, mercenários, da maioria PS. Fazem já o «aquecimento» para saírem à rua feitos leões, à procura de outros candidatos.  A relembrarem favores alegadamente concedidos, à custa do erário público tantas vezes, e a acenarem com outros favores mais a quem aceitar servir no “Ballet Rose” ainda que como meros figurantes nos espetáculos que vão montar na caça ao voto que se avizinha.  Gostam até de cativar aos incautos com «notas» altas, penduradas em pautas de todos os tipos e de onde prometem fazê-las escorregar a besuntar bolsos e patrimónios assim aliciados.  É uma vergonha de processos !  É a negação da Democracia logo pela base !

E, todavia, desenha-se já o drama do «Reizinho Sol».

Porém, atualmente, mal dorme já com a ameaça de um futuro-próximo vazio de corpo e alma.  É que em Outubro de 2021 já não poderá candidatar-se a Presidente do seu pretenso «reino» na Câmara de Oliveira do Hospital.  Então, imagina já, e com isso fica amargurado, que ao deixar de ser o «Reizinho Sol» como Presidente de Câmara, ao deixar de aprovar as «ordens de pagamento» municipais, as Pessoas que agora o bajulam vão deixar de o fazer.  Vão passar por ele na rua e, muitas delas, nem sequer o vão cumprimentar.   Eis pois o drama antecipado de um «artista solista» que até acredita ser mesmo predestinado para atuar na farsa coreografada em ritmo propagandístico de o «Reizinho Sol» na Câmara Municipal.

E tamanha é a aflição que não desdenhará aparecer em lugares secundários em próximas encenações produzidas pelo «Ballet Rose» em Oliveira do Hospital.  Sim, que, para se manter na «ribalta» política, esta a coisa que mais lhe agradará, sabe que é mais difícil mudar de palco e de companhia, até de coreografias, tendo até em conta a sua idade já desadequada para fazer grandes saltos, para grandes voos, enfim para interpretar outras «partituras coreografadas» para outros «públicos»…

A «Orquestra Laranja» essa continua meio desafinada

à procura de novos intérpretes para «velhas» obras…

Do outro lado, estrebucha a «Orquestra Laranja» patrocinada pelo PPD/PSD em Oliveira do Hospital pelo menos.  Continua a dar uns sons meio pífios, muito desafinados até para quem não tem grande «ouvido» para estas coisas da política local.

Ao que se vai ouvindo em surdina, e não apenas em surdina, é que vão «contratar» reforços inclusive ao camarim dos adversários mais diretos, o PS.  Fala-se mesmo de um «solista» bem conhecido e que até já atuou forte na «Orquestra Laranja» nos tempos idos em que esta andava a tocar melhor…

Porém, isto não é automático que os outros «músicos» dessa «Orquestra Laranja» – o naipe que já vem dos tempos do PPD – esses não perdoam a saída em «fuga maior» para o «Ballet Rose» protagonizada, anos atrás, pelo tal «reforço» que agora se comenta. É que até desconfiam, e com razão, que um tal «intérprete» se venha a recusar interpretar as «velhas obras» que a «Orquestra Laranja» teve em reportório…

E ao vermos nós, o afinco – aliás, ao seu estilo  – com que, para se manter em forma, caminha diariamente o «velho» ensaiador e «solista» do lado «laranja», é legítimo esperar que ele também se prepara para uma «nova corrida – nova viagem» nas Autárquicas de 2021 e, quanto mais não seja, como repetente «maestro e ensaiador» do PPD/PSD .  Mas então como vai ele re-colaborar com o tal «reforço» que, afinal, lhe abandonou a «orquestra» e se passou para a «concorrência» quando o «maestro» tanto esperava/precisava dele ?…

Vamos pois aguardar pelos novos «ensaios» da «Orquestra Laranja»…

Em contraponto, pois então, vamos nós dançar a valsa: «com música minha e letra do meu mano…vão por mim que não vos engano»…

Quanto a nós, «artistas» anónimos, nós cá vamos interpretar aquela peça reestruturada do – «Com música minha e letra do meu mano…vão por mim que não vos engano!».

Cantem e dancem connosco… QUE TRISTEZAS NÃO PAGAM DÍVIDAS !  Aliás é por isso mesmo que o «Primeiro» António Costa se ri tanto…enquanto nos vai lixando a vida.

Abraço.

Autor: Um «artista» anónimo (devidamente identificado perante o jornal)

LEIA TAMBÉM

Tábua começa hoje a aplicar medidas destinadas aos concelhos com risco elevado de COVID-19

O concelho de Tábua começa hoje a aplicar as medidas restritivas, como o recolher obrigatório, …

Salvemos o “Castro do Vieiro” – ou “Castro de S. Cosme” – da incúria assumida por parte de quem tem como dever público estudá-lo, preservá-lo e divulgá-lo! Autor: João Dinis

O “Castro do Vieiro” ou, na nomenclatura oficial, “Castro de S. Cosme” é vestígio granítico …