Home - Opinião - Gestão – política e prática – desastrada e desastrosa da situação com a Pandemia por parte do Primeiro-Ministro e Governo e também do Presidente da República! Autor: João Dinis

Gestão – política e prática – desastrada e desastrosa da situação com a Pandemia por parte do Primeiro-Ministro e Governo e também do Presidente da República! Autor: João Dinis

Sim !  Tem sido desastrada e desastrosa a gestão política, e também prática, da situação com a Pandemia dos Corona Vírus por parte do Primeiro-Ministro e do Governo, e também por parte do Presidente da República.

De facto, alegadamente para controlar a pandemia, as Instituições – Governo e Primeiro-Ministro — Presidente da República – as maiorias partidárias mais convergentes na Assembleia da República – deram toda a prioridade aos sucessivos “estados de emergência” – vamos agora no nono ou no décimo em onze meses – para controlarem a pandemia, no caso, fundamentalmente à custa de severas restrições aos direitos e liberdades constitucionais.  Porém, lamentavelmente, uma tal estratégia falhou perante a tragédia “covidiana” permanente em que se vive, e de Norte a Sul do País !  Ou seja, falhou a avaliação política e a actuação consequente – por parte de Governo e Presidência da República quanto à situação e às perspectivas para a evolução da Pandemia.  Estiveram, sempre, nas televisões, nos rádios e nas redes sociais a fazer que agiam mediante os números quotidianos de infectados e de mortos e da pressão dos “media” e da opinião pública.  Mas como se prova, não é com “injecções” de propaganda e de “boas (mas ocas…) intenções” que se resolve este grave problema… E, note-se, também sempre houve quem alertasse para os perigos e até previsse o trágico rumo da pandemia e não foram “bruxos” a fazê-lo…

Milhares de mortos por Covid – após essas sucessivas decisões – e a pandemia agora “à rédea solta”, demonstram isso mesmo – que é esta, e não outra, a experiência que temos vivido !  Ou não ?   Aliás, fazemos os mais apelantes desejos de que “as coisas” não fiquem ainda piores mas o “caldo de cultura” para que tal aconteça está ao fogão e quase cozinhado…  Para desgraça do Povo !   

Entretanto, a propaganda oficial e oficiosa ainda surte efeitos na cabeça de muita, muita Gente que acredita naquilo que lhe impingem e até se deixa convencer pela desculpa oficial segundo a qual são as Populações que, irresponsavelmente, têm a maior culpa pela situação desgraçada a que chegámos nesta pandemia…  De nossa parte, temos já um grande treino para não pensarmos como o sistema dominante  quer que pensemos para mais facilmente nos “domesticar”…

E como está a Vacinação, desde logo o ritmo da Vacinação nas Populações ?   Sim, quando, como e onde vamos ser Vacinados ? Como evolui, no nosso País, o abastecimento necessário de Vacina(s) ?  Não se sabe…  Mas eu sei que quero ser Vacinado rapidamente !

O “não encerra – encerra” Escolas e  Escolinhas foi uma das “danças” pior engendradas !

Agora, Alunos, vão para casa 15 dias (para já) a curar maleitas para voltarem às Escolas…

Das decisões mais alternadas pelo Governo foram – não-encerrar –  encerrar – Escolas, Escolinhas e ATL´s !!!    Sim, pensamos não exagerar ao dizermos que lá está a tal gestão desastrada e desastrosa das situações neste caso para as Escolas, a pretexto da pandemia.  O Primeiro-Ministro, o Governo e o Presidente da República “mudaram o bico ao prego” constantemente, com a aparente maior das calmas e também com muita incompetência política à mistura.  Aliás, o ano lectivo não foi convenientemente preparado perante as exigências previsíveis e que se vieram a concretizar. Mas quem mais se trama com isso, somos nós, é o Povo !

Particularmente, o Primeiro-Ministro, numa semana apenas, assumiu que as Escolas se manteriam abertas, que os ATL encerravam e reabriam e, menos de um dia para o outro, decidiu que também encerravam as Escolas para alunos até 12 anos.   E Pais, Alunos e Escolas que se “desenrasquem” no meio da confusão e da tragédia !!  E que, ainda por cima, os Pais paguem para isso que aqueles que fiquem em casa a tratar dos Filhos, levam um corte de 34% no já de si e por norma curto salário da maioria…

De facto, nem sequer foi preparado o ensino “online”…  Será então errado concluirmos que isso aconteceu – não haver ensino “online” – desde logo porque o Governo não cumpriu o seu compromisso de distribuição de Computadores pelos Alunos ?  E que, exactamente por isso, “inventou” agora aquela do prolongamento de aulas para além dos períodos lectivos normais “para compensar” estes dias em que o pessoal fica em casa.  Achamos que, no contexto, foi mesmo isso que aconteceu…  Entretanto, afinal, por onde tem andado o Ministro da Educação que “desapareceu” ?…

Sim, ouso questionar se este estratagema da súbita decisão – “Escolas encerradas e 15 dias em casa para os Alunos” – este estratagema foi engendrado  para dar tempo a que o Pessoal fique em casa, afinal, a “curar maleitas” da pandemia – estilo quarentena, embora por sua conta e risco ?  E para, passados 15 dias de “confinamento domiciliário”, o Pessoal Escolar regressar pretensamente “limpo” às Escolas de onde –  muitos – certamente, saíram já infectados e a infectar !…  

Sim, com o Pessoal todo em casa – de facto, de quarentena – o sistema escolar, a mando do Governo e com o apoio do Presidente da República – também foge, objectivamente, à realização dos testes à doença pandémica, testagem que estava anunciado ser feita nas Escolas…  Sim, dessa forma, é legítimo concluir, conseguem esconder o real estado sanitário a que chegaram as comunidades escolares, é o que é !… 

E que se passa dentro das Empresas, por aí fora ?

A testagem sistemática dos Trabalhadores está ou não a ser feita, como e por quem ?…

Aqui se afirma que, ao que se vai sabendo, na larga maioria das Empresas, a começar pelas maiores, a manifestação da doença e a testagem sistemática dos Trabalhadores não estão a ser enfrentadas como se exige, pelo menos de formas confiáveis – qual é a participação da Direcção Geral de Saúde (DGS) nisto ? – e acções realmente eficazes.

Sim, de facto, a “contrapartida sanitária”, digamos assim, para as Empresas se manterem abertas e a laborar, deveria ser a realização sistemática de testes aos seus Trabalhadores – a todos os Trabalhadores – e o encarar, a sério, o problema da manifestação da doença para a curar onde ela se declara e para evitar novos contágios.  E isso não está a acontecer !  

Governo – DGS – Presidente da República –  Assembleia da República –  têm que tomar medidas urgentes, e duras, sim senhor, para levar a que o grande capital e o grande patronato assumam as suas responsabilidades e, neste caso, para que a situação e a saúde dos Trabalhadores sejam defendidas com maior eficácia, também dentro das Empresas!

As Populações são vítimas da Covid !  Não são culpadas !

Entretanto, que os “espertalhões de turno” não insistam na acusação – infame – de que as Populações é que têm a maior culpa pela situação e pela tragédia !   

As populações sofrem com a pandemia !  Sofrem com a doença e com o medo instigado !      E sofrem em consequência da forma desastrada e desastrosa como os principais governantes – em Portugal e na União Europeia – têm lidado (mal) com esta crise sanitária.

Até quando ?…

25 de Janeiro de 2021

João Dinis, Jano

LEIA TAMBÉM

Em Ano de Autárquicas, Correr Atrás do Prejuízo é o Desporto Nacional. Autor: André Rui Graça

Pelo menos assim parece. O título é claro quanto baste. Irei elaborar melhor o que …

O céu de Setembro…

A primeira efeméride relevante deste mês é a passagem da Lua junto a Pólux uma …