Home - Outros Destaques - Hóquei em patins oliveirense emancipou-se e sonha com a promoção à segunda divisão nacional

Hóquei em patins oliveirense emancipou-se e sonha com a promoção à segunda divisão nacional

A modalidade saiu do FC Oliveira do Hospital e tem projectos para atrair jovens e abrir mais modalidades

O hóquei em patins vive novos tempos em Oliveira do Hospital. A secção de patinagem do FC de Oliveira do Hospital emancipou-se nos primeiros meses do ano. Ganhou uma nova designação (Associação Desportiva OH Sports), um número de contribuinte próprio e muita ambição. “Esta separação permite-nos outras aspirações. Não vamos estar na sombra do futebol, podendo concorrer a apoios que até este momento nos estavam vedados, bem como contar com sócios”, explica o presidente da nova entidade, Jorge Gouveia, sem esconder que entre os objectivos da actual direcção está a subida do clube da actual terceira divisão para o segundo escalão nacional. Mas a formação é considerada fundamental.

A Associação movimenta cerca de 140 atletas, sendo aproximadamente 90 jogadores de hóquei em patins e os restantes praticantes de patinagem artística, entre masculinos e femininos. O objectivo, contudo, é aumentar de forma significativa estes números, atraindo os mais jovens para a prática da modalidade, principalmente através do projecto “Crescer sobre rodas” em que a colectividade vai a seis jardins de infância do concelho fazer demonstrações de patinagem.

“Mas pretendemos ir mais longe. Queremos colaborar com as escolas de Oliveira do Hospital e com estabelecimentos de ensino dos concelhos vizinhos. Essa é a base de todo o projecto”, conta, por seu lado, o vice-presidente Carlos Gouveia, assinalando que nesta altura a Associação apenas não tem os escalões de sub-15 e sub-19. “De resto temos os restantes escalões de formação, numa modalidade que pode começar a ser praticada a partir dos três anos”, conta, sublinhando que o OH Sports assegura o equipamento aos jovens praticantes que tenham até 13 anos. “É que estamos a falar de apetrechos, desde os patins, às luvas, passando pelo stick, que podem custar algumas centenas de euros”, conta.

A vida não é fácil para quem pratica hóquei em patins no interior do país. A Associação de Patinagem de Coimbra conta apenas com três clubes e os aspirantes a estrelas da modalidade em Oliveira do Hospital têm sempre de fazer muitas dezenas de quilómetros para poderem competir. Têm de competir com equipas dos distritos de Aveiro, Leiria, Coimbra e Porto. “No mínimo 250 quilómetros, o que muitas vezes nos obriga a sair daqui vezes às seis da manhã porque alguns jogos estão agendados para as 10h00 e temos de nos apresentar uma hora antes”, sublinha Jorge Gouveia. “Oliveira do Hospital tem tradição na patinagem e conseguimos superar estes sacrifícios”, conta este dirigente que apela ao apoio por parte das empresas do concelho ao novo clube.

“Esse apoio é fundamental para o desenvolvimento deste projecto”, sublinha Jorge Gouveia, adiantando que esta direcção se prepara para juntar ao hóquei em patins e à patinagem artística novas modalidades como o skate e patinagem em velocidade. “Vamos ter um leque abrangente para os jovens que gostem destas modalidades”, explica, enfatizando que as crianças podem começar a praticar a patinagem aos três anos, decidindo depois por volta dos cinco anos se preferem o hóquei em patins ou a patinagem artística.

FC Porto visita Oliveira do Hospital para a Taça de Portugal…

Paralelamente à aposta na formação, o novo emblema de Oliveira do Hospital também aposta na subida de escalão da equipa sénior e numa maior profissionalização de todos os departamentos. Passou a ter novos elementos, entre outros, um coordenador técnico de todos os escalões, uma psicóloga, uma nutricionista e um treinador de guarda-redes. Foi também criada a equipa de sub-23 para colocar a jogar os atletas que posteriormente vão alimentar a formação principal. “Oliveira do Hospital já merece mais que a terceira Divisão, algo nunca conseguiu. Acreditamos que podemos subir. Estamos em segundo lugar na nossa série, temos nove vitórias e um empate”, conta.

O segundo lugar já garante ao clube o acesso à prova que reúne os segundos classificados das quatro séries que constituem a competição numa prova que oferece a promoção às duas equipas que mostrem melhor desempenho. O primeiro classificado de cada série é promovido automaticamente. “Estamos bem”, assinala Carlos Gouveia, lembrando que para a Taça de Portugal a OH Sports vai receber no próximo dia 11, pelas 17h00, o campeão nacional, FC Porto, na segunda eliminatória da Taça de Portugal. “Acreditamos que vamos conseguir encher o pavilhão que tem uma lotação superior a 900 lugares”, conta este dirigente, referindo que os preços dos bilhetes já estão definidos: 3 euros e 10 euros com cachecol do clube. Os dirigentes acreditam que podem conseguir aqui uma receita generosa, para uma colectividade que tem 75 mil euros de orçamento para todas as actividades do emblema. “Seria bem-vinda”, conclui Jorge Gouveia.

LEIA TAMBÉM

Bombeiros feridos no acidente com ambulância dos Bombeiros de Oliveira do Hospital já tiveram alta

Os bombeiros Voluntários de Oliveira do Hospital que ficaram feridos no acidente com uma ambulância …

Greve dos professores em Oliveira do Hospital encerra escolas da sede do Agrupamento

Os professores do Agrupamento de Escolas de Oliveira do Hospital voltaram hoje a aderir à …