Home - Destaques - IC6: Alexandrino desafia a boicote eleitoral e promete corte de estrada por um dia

IC6: Alexandrino desafia a boicote eleitoral e promete corte de estrada por um dia

O presidente da Câmara de Oliveira do Hospital disse assumir o papel de “guerrilheiro” na luta pelo IC6 e exortou o concelho a boicotar as eleições de 25 de maio. Alexandrino prometeu ainda usar as máquinas da Câmara para com outros municípios cortar a estrada (EN17) “desde Gouveia a Oliveira do Hospital”.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAJosé Carlos Alexandrino duvida do resultado da conferência realizada no último sábado em Seia sobre “os Investimentos em Infraestruturas e o Desenvolvimento da Região da Serra da Estrela” e na hora de encerrar os trabalhos daquele encontro defendeu “um luta de guerrilha que faça dor”.

“Daqui o que é sai?” questionou o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital que, do mesmo modo, colocou em causa a eficácia de “horas, dias e meses de diplomacia política” na luta que com autarcas da região tem travado pela construção do IC6,7 e 37. “O que é que deram?” continuou José Carlos Alexandrino que diante de autarcas, deputados e munícipes da região se revelou “cansado” e “farto de falar” sem ser ouvido pelo governo. “Podemos enumerar um milhão de vezes que temos direito e que é uma injustiça, mas se não nos quiserem ouvir não adianta”, prosseguiu José Carlos Alexandrino que, em Seia, anunciou não querer ser político, mas antes “guerrilheiro” para levar por diante a luta pelos Itinerários Complementares (IC6 7, e 37) que quer que seja “uma luta de guerrilha, que faça dor”.

Para fazer ouvir a voz da região no que àquela matéria diz respeito, José Carlos Alexandrino está disposto a extremar posições. Ao povo de Oliveira do Hospital e ao vários partidos políticos – “porque esta não é uma luta só do presidente da câmara”, frisou – o autarca de Oliveira do Hospital desafiou mesmo ao boicote às eleições europeias no próximo dia 25 de maio, como forma de o concelho mostrar “o seu protesto junto de quem governa”.

“É preciso fazer qualquer coisa, para que o país repare em nós, porque nós também somos gente, também temos vida e temos filhos que queremos que fiquem nas nossas terras”, considerou o autarca ,que assegura não ficar por aqui no que a formas de luta diz respeito.

A participar numa conferência que juntou autarcas e empresários da região, deputados e outros responsáveis, José Carlos Alexandrino desafiou ainda as restantes Câmaras Municipais para que “com as suas máquinas, desde Gouveia a Oliveira do Hospital, interrompam o trânsito (da En17)  e não se deixe passar ninguém durante um dia, mesmo que o presidente do município seja preso por desobediência”. “Não se preocupem porque a prisão fez-se para os homens”, disse o autarca, que entende ser hora de “nos unirmos em grande luta”, fazendo também lembrar que “quando as lutas são importantes para o povo, fazem-se com dor e não se fazem só com cravos”.

LEIA TAMBÉM

médicos

Utentes de Nelas exigem reabertura da urgência e melhores serviços de saúde

Uma centena de utentes do centro de saúde de Nelas exigiu hoje a reabertura das …

Edição de 2021 do Rali de Tábua cancelada devido a calendário sobrecarregado

A edição de 2021 do Rali de Tábua, previsto para 13 e 14 de Novembro, …