Home - Destaques - ICs 6, 7 e 37? Só um e quando os autarcas se entenderem

ICs 6, 7 e 37? Só um e quando os autarcas se entenderem

O secretário de Estado das Obras Públicas, Transportes e Comunicações avisou em Seia que “o Estado não tem dinheiro para pagar três ICs”. Sérgio Silva Monteiro apelou a que os autarcas se entendam e escolham o IC que consideram prioritário.

Aproveitando para anunciar uma “requalificação a sério” da EN17 para 2016, o secretário de Estado das Obras Públicas, Transportes e Comunicações deitou por terra as expectativas dos autarcas da região no que respeita à construção dos Itinerários Complementares 6, 7 e 37.

De acordo com a edição online do jornal Porta da Estrela, o governante que se deslocou a Seia para apresentação do candidato Albano Figueiredo à Câmara Municipal avisou que o “Estado não tem dinheiro para pagar três ICs que custam no mínimo 400 milhões de euros e o máximo de 750 milhões, dependendo da dimensão do túnel e da profundidade da obra”.

“Eu quero dizer que quem quer que vos prometa que vai fazer os três IC’s que está a mentir”, referiu Sérgio Silva Monteiro que, apesar de considerar “legítimo” o anseio da região na construção de uma acessibilidade que facilite o acesso a vias como a A23 e A25, disse que a solução passa pelo entendimento dos vários autarcas da região na escolha do IC que entendam prioritário. “O Estado não tem, infelizmente, 400 milhões de euros para investir em três estradas mas tem dinheiro para uma estrada, assim os municípios desta região sejam capazes de se organizar», salientou o responsável que na ocasião apelou ao futuro presidente da Câmara de Seia, para que seja “um dinamizador deste consenso” de maneira a que a região “aceite qual o itinerário complementar que é estratégico para todos os municípios”, prometendo incluir essa estrada no próximo Quadro Comunitário de Apoio.

“Assim que esse consenso seja possível, esse itinerário complementar será financiado por fundos comunitários, haverá dinheiro no Orçamento de Estado e nós seremos capazes de o executar no próximo quadro comunitário de apoio” que começa já em 2014, prometeu.

LEIA TAMBÉM

Vila Nova de Poiares lança projecto que visa combater desperdício alimentar

O Município de Vila Nova de Poiares apresentou publicamente um projecto que pretende promover práticas …

Luciano Ribeiro defende como prioritário para Seia a saúde e educação

A Câmara Municipal de Seia atribuiu os pelouros aos vereadores do novo executivo municipal, presidido …