Home - Economia - Ideias de negócio inovadoras valem 40 mil Euros em Oliveira do Hospital

Ideias de negócio inovadoras valem 40 mil Euros em Oliveira do Hospital

Ativo desde 2007 com dois anos de interrupção, o concurso municipal de Ideias de Negócio promovido pela Câmara de Oliveira do Hospital surge com uma nova roupagem. Na edição 2013, o Empreender + reserva um incentivo financeiro de 40 mil Euros, registando-se uma subida nos prémios a atribuir aos 2º e 3º classificados que passam para 11 mil e nove mil Euros, respetivamente. Ao primeiro prémio continua associado o montante de 15 mil Euros.

A novidade recai , sobretudo, na atribuição de duas menções honrosas, no valor de 2.500 Euros cada. No rescaldo de uma edição que foi a mais participada da curta história de vida do Empreender + , a autarquia decidiu criar uma fase de pré seleção de projetos.

Um conjunto de alterações apresentadas na última sexta-feira pelo vice-presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, José Francisco Rolo, com o claro propósito incentivar o espírito empreendedor já característico das gentes oliveirenses. “Oliveira do Hospital é terra de empresários, de empreendedores e tem cultura de empreendedorismo de base local”, afirmou o responsável, sublinhando que por via do Empreender +, o município disponibiliza “um instrumento financeiro” destinado a “transformar ideias em projetos e projetos em investimentos financeiros”. “Queremos capitalizar o esforço, a criatividade e o arrojo dos alunos da ESTGOH e da escola profissional, dos que se queiram lançar na vida ativa e dos desempregados”, continuou o vice-presidente do município que se orgulha por o Empreender + registar elevados índices de participação, em particular na edição 2012 à qual se candidataram 25 pré projetos, dos quais resultaram 15 candidaturas.

A dar prova da importância do concurso esteve o promotor da ideia que na edição de 2009 arrecadou o 2º prémio do Empreender + e que é hoje um caso de sucesso no concelho e em toda a região. “Foi uma grande ajuda para o início do projeto”, referiu Rui Marques, confessando-se “orgulhoso” pelo caminho que a Ophicina das Artes tem vindo a percorrer. “O ensino é de qualidade e temos progredido em termos de ideia”, registou o jovem músico e empresário concelhio que só tem a lamentar o facto de os oliveirenses não estarem predispostos a pagar um serviço que, em outros locais é prestado gratuitamente por “pessoas sem formação”.

Presidente da ADIBER – elemento novo no júri do Empreender + – Miguel Ventura destacou as mais valias do concurso municipal de ideias de negócio, entendendo mesmo que deverá ser tido como “um exemplo para municípios vizinhos”, com o objetivo de “estimular a capacidade empreendedora das suas gentes e, em particular, dos mais jovens”. “Não são meros concursos, são o pontapé de saída para empresas e projetos de vida”, sustentou o responsável pela ADIBER que, em tempos de crise, felicitou o município oliveirense pelo “arrojo de lançar o repto aos empreendedores e os ajudar a concretizar ideias de negócio”.

Sempre ao lado do município na criação de boas ideias de negócio, a ESTGOH reafirmou o compromisso de no seu seio continuar contribuir para o surgimento de projetos inovadores. “Pretendemos reforçar a equipa de apoio técnico e tentar envolver os alunos para desenvolver competências na área do empreendedorismo”, referiu o presidente da ESTGOH, Carlos Veiga certo dos “bons frutos” que “a médio e longo prazo” irão resultar dos projetos premiados. Uma certeza que advém da forma como o município premeia as ideias que mais se destacam em cada ano. “O importante deste concurso é que o que se premeia é o desenvolvimento da ideia”, verificou Carlos Veiga.

As candidaturas para o Empreender + 2013 arrancam já no próximo dia 15 de maio e decorrem até 15 de setembro. Na fase de avaliação dos projetos são tidos em conta aspetos como o grau de inovação e probabilidade de sucesso do negócio, a qualidade do plano de negócios e a mais valia ambiental. Os premiados têm até um ano para concretizar o seu projeto, ficando obrigados a manter a atividade no concelho pelo período mínimo de cinco anos, sob pena de devolução do prémio. Para além do incentivo financeiro, às melhores ideias de negócio é dada prioridade na instalação na incubadora de empresas da BLC3.

LEIA TAMBÉM

Apoio a empresas em ‘lay-off’ pago a pedidos que entraram até dia 10 diz ministra do Trabalho

Os apoios às empresas que pediram adesão ao ‘lay-off’ começam a ser pagos na sexta-feira …

Arrancou em Nelas a construção de fábrica de manufacturação da Cannabis para a indústria farmacéutica

A empresa “ENDOPURE” já iniciou, em Nelas, as obras de construção de um pavilhão industrial …