Home - Destaques - Incêndio de grandes dimensões ameaçou populações e consumiu carro de bombeiros

Incêndio de grandes dimensões ameaçou populações e consumiu carro de bombeiros

Viveram-se verdadeiras horas de pânico, esta tarde, em Oliveira do Hospital. Um incêndio de grandes dimensões devastou mais de 200 hectares de floresta na zona do Vale do Alva, cercou populações e consumiu uma viatura do comando dos bombeiros de Oliveira do Hospital.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

Mais de 300 bombeiros, oriundos de vários pontos do país, apoiados por 87 veículos e três helicópteros travaram, esta tarde, uma luta desigual contra o fogo. Aconteceu no concelho de Oliveira do Hospital, na Zona do Vale do Alva, quando depois das 15h30 foi dado o sinal de alerta para o incêndio que rapidamente progrediu a partir da localidade das Caldas de S. Paulo, propagando-se para Santo António do Alva e Penalva de Alva. Pelo meio, várias habitações foram sendo surpreendidas pelas chamas, valendo a prontidão dos bombeiros na defesa dos habitantes e seus bens. A povoação das Quintas de S. Pedro chegou mesmo a estar cercada pelo fogo.OLYMPUS DIGITAL CAMERAOLYMPUS DIGITAL CAMERA

 

No combate àquele que já é entendido como o maior fogo, este ano, ocorrido no concelho de Oliveira do Hospital um carro do comando da corporação dos Bombeiros Voluntários de Oliveira do Hospital foi destruído pelas chamas. O bombeiro que o conduzia conseguiu escapar à violência do fogo com pequenas queimaduras na face.

Com a ajuda de dois aviões de combate, o fogo foi considerado dominado pouco depois das 21h00, registando-se pontualmente pequenos reacendimentos.

Ao fim de mais de seis horas de combate ao incêndio que devastou uma zona de reconhecido potencial turístico, o presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital apreciou a prontidão dos bombeiros que vieram de todo o país para o combate ao “incêndio que ganhou grandes proporções e se revelou muito complicado”. Responsável pela proteção civil concelhia, José Carlos Alexandrino lamentou porém a fraca resposta dos meios aéreos que em zona de declive são considerados determinantes para o eficaz combate ao fogo. “Se os aviões tivessem chegado mais cedo, ter-se-ia resolvido o fogo melhor e mais cedo”, referiu.OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Motivo de preocupação para o autarca foram as várias habitações que chegaram a ficar ameaçadas pelo fogo. “Graças à intervenção de todos, acabou por correr menos mal”, referiu o autarca ao correiodabeiraserra.com, contando que o fogo chegou a entrar por alguns jardins e espaços de arrumos mas sem danos para as habitações e populares. Lamentando a perda da viatura de comando dos bombeiros de Oliveira do Hospital, Alexandrino regozija-se com o facto de o bombeiro envolvido no incidente ter sido poupado.

Numa altura em que ainda se apura a área devastada pelo fogo, as primeiras indicações apontam para mais de 200 hectares de floresta ardida.

Ao mesmo tempo que o fogo do Vale do Alva foi considerado dominado, outro incêndio eclodiu na zona do Moinho do Buraco, na zona Norte do concelho. Bombeiros e sapadores prosseguem no combate às chamas.

LEIA TAMBÉM

Carlos Monteiro quer municípios da CIM Coimbra articulados no PRR

O Conselho Estratégico de Desenvolvimento Intermunicipal (CEDI) esteve hoje reunido na CIM Região de Coimbra, …

 Colisão provoca três feridos em Candosa, concelho de Tábua

Uma colisão em Candosa, concelho de Tábua, provocou três feridos. O acidente ocorreu, pelas 18h20, …