Home - Sociedade - Cultura - Juventude Popular pede intervenção da autarquia oliveirense na Fundação D.Maria Emília Vasconcelos Cabral
Fundação D.Maria Emília Vasconcelos Cabral

Juventude Popular pede intervenção da autarquia oliveirense na Fundação D.Maria Emília Vasconcelos Cabral

A Juventude Popular (JP) de Oliveira do Hospital critica, em comunicado, aquilo que classifica de “posicionamento impávido e sereno do executivo camarário oliveirense quanto ao funcionamento deficitário e lúgubre” da Fundação D. Maria Emília Vasconcelos Cabral. Os jovens do CDS- Partido Popular consideram que a instituição, “por ventura, a fundação de maior sumptuosidade cultural do nosso querido município beirão” está em “estado de sitio” e espera que a autarquia actue por forma a colocar o órgãos da instituição a funcionar legalmente.

“A fundação , que é responsável pela antiga ‘casa de baixo’ pertencente ao fidalgo Francisco Cabral Metello, hoje casa museu detentora de escritos de algumas das maiores referências da literatura nacional como Aquilino Ribeiro ou Fernando Pessoa e múltiplos trabalhos do famigerado artista local Manuel Cid Telles, encontra-se num oprobriante e inexplicável impasse administrativo”, frisam na missiva os membros da JP.

“Num verdadeiro impasse encontram-se também os espaços, outrora verdejantes, adjacentes à casa museu , hoje transformados num determinado canil/gatil com as mínimas condições de onde emanam odores e barulhos desagradáveis que vêm motivando queixas dos munícipes que por ali habitam e que , de resto, a comunicação social local vem denunciando e a Juventude Popular de Oliveira do Hospital já propôs uma solução para a problemática explanada”, continuam.

A Juventude Popular diz ainda esperar que a Câmara Municipal tome em mãos parte de um problema que consideram “grave grave para a cultura local…, fazendo valer os estatutos da instituição, o que até à data não se tem vindo a verificar perdurando o vazio administrativo”, contam, fazendo votos para que os problemas judiciais decorrentes do actual estado de coisas “sejam sanadas da forma mais célere possível de forma a que todos os jovens e menos jovens possam usufruir de tão faustoso esplendor cultural como é , de facto, a casa museu”. E rematam: “ a Fundação não merece, os oliveirenses também não”.

Foto: site da Fundação D. Maria Emília Vasconcelos Cabral

LEIA TAMBÉM

Bombeiros desconfiam de fogo posto em Oliveira do Hospital

Camping de Meruge em risco e população de Casal de Travancinha (Seia) vê as chamas à porta e recorda catástrofe de 2017

O parque de campismo Toca da Raposa, em Meruge, no concelho de Oliveira do Hospital, …

Incêndio em Meruge combatido por 210 operacionais e seis meios aéreos

Um incêndio está a lavrar em Meruge, concelho de Oliveira do Hospital. O fogo, para …