Home - Opinião - Letalidade COVID e Excesso de Mortalidade…Autor: Carlos Antunes

Letalidade COVID e Excesso de Mortalidade…Autor: Carlos Antunes

A modelação da letalidade Covid, idêntica à da incidência, indica-nos que entrámos numa nova tendência de aumento. Esta nova onda, consequência da 2ª vaga da incidência, está a atirar-nos para um pico (ainda indefinido) de 40 novos óbitos para meados de Dezembro e um total acumulado de óbitos na ordem dos 5 mil. Olhando para os dados da mortalidade em Portugal, desde 2009, constata-se que temos em 2020, à data de ontem, uma excesso de 9148 óbitos face à média de 2009-2019.
.
Da análise da série da média anual de mortalidade, constata-se um aumento da mortalidade desde 2011 na ordem de 0.86%/ano, que corresponde a cerca de 910 mortes a mais em cada ano. Com esta tendência de mortalidade que se tem vindo a verificar podemos deduzir o excesso de mortalidade explicável por esta causa. A que alguns apontam ser devida ao envelhecimento da população, mas que poderíamos também associar a outras causas, como por exemplo, a consequência da crise económica de 2008. Contudo, não é isso que aqui interessa agora.
.
À data de ontem, dessas 9148 mortes em excesso relativamente à média 2009-2019, 2296 são Covid e 6856 Não Covid. Deduzido a estimativa de 5267 mortes explicadas pelo aumento de mortalidade que se tem vindo a verificar desde 2011, obtemos apenas 1585 mortes não explicáveis, nem diretamente por Covid nem pelo aumento da mortalidade.
.
Estas 1585 óbitos que correspondem a 69% da totalidade das mortes Covid poderão, por hipótese, ser atribuídas a factores colaterais ao combate da epidemia. Quer sejam mortes de outras patologias por ausência de tratamento clínico, ou dificuldade de diagnóstico precoce, ou a mortes indirectas da Covid que não foram contabilizadas como tal. Por exemplo, de pessoas que estiveram infectadas e internadas com Covid, recuperaram e mais tarde vieram a falecer, bem como, mortes súbitas cuja causa não foi identificada.
.
Desta análise, demonstra-se que por cada morte Covid estão a ocorrer apenas 0.7 mortes como consequência directa e indirecta do combate à epidemia Covid-19. Muito longe do que se tem pregoado por muitos de que o combate à epidemia está a causar muito mais mortes que a própria epidemia.
.
Para se afirmar em ciência tem que se demonstrar, tem que se apresentar evidência irrefutáveis. É isso que tento sempre fazer quando obtenho os meus resultados e formulo as minhas conclusões.
Autor: Carlos Antunes

LEIA TAMBÉM

Tábua começa hoje a aplicar medidas destinadas aos concelhos com risco elevado de COVID-19

O concelho de Tábua começa hoje a aplicar as medidas restritivas, como o recolher obrigatório, …

Salvemos o “Castro do Vieiro” – ou “Castro de S. Cosme” – da incúria assumida por parte de quem tem como dever público estudá-lo, preservá-lo e divulgá-lo! Autor: João Dinis

O “Castro do Vieiro” ou, na nomenclatura oficial, “Castro de S. Cosme” é vestígio granítico …