Home - Últimas - Lousã realiza testes de despistagem em IPSS e autoridades com apoio do Politécnico de Coimbra

Lousã realiza testes de despistagem em IPSS e autoridades com apoio do Politécnico de Coimbra

O município da Lousã está a realizar testes de despistagem à covid-19, tendo começado pelos trabalhadores de IPSS que cuidam de idosos, bombeiros, militares da GNR e trabalhadores da Câmara que asseguram funções essenciais, foi hoje anunciado. O centro de despistagem, que funciona no quartel dos bombeiros municipais, com capacidade para testar uma centena de pessoas diariamente, resulta de uma parceria da Câmara com as autoridades locais de saúde, a Escola Superior de Tecnologia de Saúde (ESTeSC) do Instituto Politécnico de Coimbra (IPC) e do Laboratório Arunce, que realiza todo o processo laboratorial.

Os testes adquiridos foram fabricados na Alemanha, com a devida autorização de comercialização pela Comunidade Europeia e registo no Infarmed em Portugal, segundo um comunicado da autarquia da Lousã, no distrito de Coimbra. O município garante que vai continuar, “em articulação com as autoridades locais de Saúde e com a Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra, a procurar implementar as medidas adequadas para que o impacto desta pandemia seja o menor possível no concelho”.

Também em comunicado, o presidente da ESTeSC, João José Joaquim, realça que, “num momento excecional e de desafio coletivo que se atravessa, a ESTeSC reforça a sua proximidade com a comunidade com uma intervenção na área das Ciências Biomédicas Laboratoriais relacionada com a infeção por SARS-CoV-2, numa parceria com a Câmara Municipal da Lousã”. “Estamos conscientes do papel que nos cabe em encontrar soluções que revertam em benefício das comunidades e que possam ajudar a minimizar os efeitos desta pandemia”, sublinha o responsável.

Citado também na nota, o presidente do IPC considera que esta “é mais uma ocasião em que o sistema científico em geral e o Politécnico de Coimbra em particular demonstram a sua capacidade de reação e de criação de saber”. De acordo com Jorge Conde, trata-se de “um desafio inesperado e desproporcional” que o mundo enfrenta, no qual “importa que aqueles que estão na liderança da ciência, da inovação e do conhecimento, respondam a esse desafio”. “Tem sido isso que, em diversas frentes, o Politécnico de Coimbra através das suas escolas e serviços tem feito”, garante.

LEIA TAMBÉM

Sindicato exige soluções para problemas dos trabalhadores da Câmara de Tábua

O Sindicato dos Trabalhadores da Administração Local (STAL) acusou hoje a Câmara de Tábua de …

União Europeia reforça frota de combate a incêndios

A Comissão Europeia anunciou esta hoje o reforço da frota europeia para combate aos incêndios …