Home - Últimas - MAAVIM insiste na falta de apoio às vítimas dos incêndios, 37 meses depois 

MAAVIM insiste na falta de apoio às vítimas dos incêndios, 37 meses depois 

O Movimento Associativo Apoio Vítimas Incêndio Midões (MAAVIM) recordou hoje os 37 meses que passaram desde os incêndios de de Outubro de 2017 e insiste que as vítimas continuam abandonadas.”Continuamos a reivindicar para a população o mesmo desde Outubro de 2017. A reivindicar ajudas para os lesados que nunca receberam qualquer ajuda”, frisam.

A MAAVIM insiste que milhares de Agricultores que nunca receberam ajudas; centenas de empresas, especialmente na área florestal, que não receberam qualquer apoio e levaram muitas famílias a ficar sem posto de trabalho; dezenas de famílias que nunca receberam apoio para a sua habitação e infra-estruturas e Floresta que ficou abandonada e sem planos para o futuro.”Prometeram-nos o verde e ficámos com as cinzas”, sublinham, adiantando que continuam a questionar “onde estão os milhões divulgados e enviados pela UE para apoio às populações, principalmente para a habitação e floresta”.

“Sabemos hoje que os apoios para a floresta têm sido enviados maioritariamente para a zona Sul do país, estando a floresta no Centro e Norte do país sem apoios. Sabemos que muitos tiveram habitação onde não habitavam e já movemos um processo para averiguação dessas situações, quando ainda existem centenas de pessoas sem a sua habitação que perdeu. Sabemos que existem contas solidárias nas autarquias ainda com dinheiro por distribuir e porque não foi entregue até ao momento?”, questionam mais uma vez.

LEIA TAMBÉM

Direito de resposta da notícia publicada na edição do “Correio da Beira serra”, datada de 3 de Junho, com o Título “MÉDICO DA ASTRAZENECA EM JULGAMENTO MILIONÁRIO NO TRIBUNAL DE TÁBUA”.

Eu, Hugo Gomes da Silva, venho por este meio exercer o direito que me assiste …

MAAVIM acusa autarquias e o Estado de continuarem a ignorar a lei das limpezas

O Movimento Associativo de Apoio às Vítimas Incêndio Midões (MAAVIM) acusou hoje, em comunicado, as …