Home - Últimas - Mais de quatro centenas de bombeiros e 14 meios aéreos combatem fogo na Pampilhosa da Serra

Mais de quatro centenas de bombeiros e 14 meios aéreos combatem fogo na Pampilhosa da Serra

Pelo menos 420 bombeiros, apoiados por 123 veículos e 14 meios aéreos continuam a combatem um incêndio que deflagrou ao início da tarde de hoje em Janeiro de Baixo, Pampilhosa da Serra, próximo de Arganil. De acordo com a informação disponível na página da Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil (ANEPC), o incêndio que começou depois das 13h00, está a ser combatido por mais de 400 bombeiros, que estão a ser apoiados por 123 viaturas e 14 meios aéreos. O presidente da Câmara Municipal de Pampilhosa da Serra, José Brito, disse que o combate ao fogo “está ainda muito complicado”, uma vez que o vento “está a levantar-se com grande intensidade”, refere o jornal Noticias de Coimbra.

O incêndio deflagrou numa área “densamente povoada de pinheiro”, prosseguiu o autarca, acrescentando que “é mais uma perda enorme para o concelho”, mas “não há povoações em perigo”. O Comando Territorial da GNR de Coimbra explicou que o troço da estrada municipal 546 entre Janeiro de Baixo e Janeiro de Cima está cortado devido ao fogo. Fonte do Comando Distrital de Operações de Socorro de Coimbra, em declarações à agência Lusa, às 14h35, disse não haver habitações em perigo e explicou que estão a ser mobilizados mais meios para o local.

A ANEPC emitiu na sexta-feira um aviso à população para o perigo de incêndio rural nos próximos dias, devido às elevadas temperaturas previstas e à baixa humidade. Em comunicado divulgado na sexta-feira à tarde, a ANEPC refere que, “de acordo com a informação disponibilizada pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), prevê-se um agravamento das condições meteorológicas favoráveis ao incremento do risco de incêndio, devido ao tempo quente e seco”.

Face a estas previsões, é proibido fazer queimadas extensivas sem autorização, fazer queima de amontoados, utilizar fogareiros ou grelhadores em todo o espaço rural, salvo se usados fora de zonas críticas e nos locais devidamente autorizados para o efeito, fumar ou fazer lume nos espaços florestais, lançar balões de mecha acesa e foguetes, usar motorroçadoras (excepto se possuírem fio de nylon), corta-matos e destroçadores nos dias de risco máximo e obrigatório usar dispositivos de retenção de faíscas e de tapa-chamas nos tubos de escape e chaminés das máquinas de combustão interna e externa nos veículos de transporte pesados e um ou dois extintores de 6 Kg, consoante o peso máximo seja inferior ou superior a

LEIA TAMBÉM

Semana europeia da mobilidade assinalada com ciclismo nas escolas de Seia

O Município de Seia, a propósito da Semana Europeia da Mobilidade, e operacionalizada pela Associação …

Município de Gouveia assegura transportes escolares durante greve rodoviária

O Município de Gouveia está a assegurar o transporte escolar, devido à greve dos transportes, …