Home - Últimas - Munícipe de Nelas acusa autarquia de deturpar factos em relação à infecção da COVD-19 do marido

Munícipe de Nelas acusa autarquia de deturpar factos em relação à infecção da COVD-19 do marido

Uma munícipe de Nelas insiste que a autarquia mentiu no boletim em que dava conta da infecção do seu marido por COVID-19, na localidade Carvalhal Redondo. A esposa do senhor, Sónia Paixão, refere a existência de vários erros no boletim da autarquia que nunca foram desmentidos e que causaram alguns desconfortos à família. Sónia insiste que a nota refere falsamente que o marido esteve de férias mais de 15 dias e que terá sido testado a 28 de Março, quando na verdade “tal só aconteceu” a 30 Março e apenas entrou de férias no dia 24 de Março. Além disso, só teve conhecimento de que estava infectado com a COVID-19 a 31 de Março. O CBS tentou falar com a autarquia , mas tal não foi possível.
.
“Alertei a autarquia para estes erros, até porque muita gente telefonava para aqui a perguntar por onde é que o meu marido tinha andado para apanhar a COVID e qual a razão de não ter tomado os devidos cuidados, mas limitaram-se a tirar da nota os 15 dias de férias”, diz, alegando que o que se passou tem pouco a ver com o relato do boletim da autarquia. “O que não entendo é a razão de não existir um pedido de desculpas e uma correção do tal boletim”, sublinha, adiantando que o marido já está a realizar os dois testes para verificar se está curado, e eles nada têm a ver com guerras políticas.
.
Sónia começa então a explicar a cronologia dos acontecimentos. A 23 Março, diz, devido à situação de pandemia, e ao facto de se tratar de um doente de risco, devido a outras patologias, pediu ao marido para colocar férias, po que aconteceu no dia seguinte, numa altura em que não tinha qualquer sintoma. Desde este dia, garante, até ao conhecimento do teste positivo, José Sampaio, não se ausentou do concelho, permanecendo quase sempre em casa, ausentando-se apenas para efetuar compras.
.
Só a 27 de Março deu conta que estava sem olfato e paladar, bem como alguns calafrios. No dia 29, uma vez que mantinha os sintomas e devido a algumas notícias que tinham surgido, indicando que poderiam ser sintomas de covid-19, ligou para a saúde 24. “Foi-lhe dito para no dia seguinte se deslocar ao Centro de Saúde de Nelas, onde se deslocou no dia seguinte. Foi enviado para casa, tendo contudo recebido, pouco depois, uma chamada da médica de família. Nesse mesmo dia recebeu uma SMS para se deslocar ao hospital de Viseu.
.
Depois de efetuado o teste foi enviado para casa, com a informação para não se ausentar da mesma”, explica Sónia Paixão sublinhando que no dia seguinte (31) recebeu a informação que tinha testado positivo. “Mas a Câmara, pelos vistos, já sabia mesmo antes de ter realizado o teste, dado que a data que referem é 28. Quando soubemos que tinha resultado positivo  imediato informou a entidade patronal, para que fossem tomadas todas as medidas e eu liguei ao filho para sair imediatamente do trabalho, numa grande superfície”. Esposa, filha, filho e sogra, que mora num piso superior da mesma habitação, resultaram negativo.

LEIA TAMBÉM

PJ desmantelou rede de tráfico de droga que actuava na Guarda e em Aveiro

Cinco homens e duas mulheres foram detidos pela Polícia Judiciária (PJ), no final da semana …

NIC da Guarda deteve indivíduo em Celorico da Beira por cultivo de canábis

O Núcleo de Investigação Criminal (NIC) da Guarda deteve na sexta-feira um homem de 31 …