Home - Região - Oliveira do Hospital - Nasceu uma Confraria para preservar memórias gastronómicas dos Ervedalenses
Nasceu uma Confraria para preservar memórias gastronómicas dos Ervedalenses

Nasceu uma Confraria para preservar memórias gastronómicas dos Ervedalenses

Preservar e divulgar alguns dos produtos típicos de Ervedal da Beira é um dos principais objectivos da Confraria dos Bolos, Doces, Aguardentes e Licores daquela localidade do concelho de Oliveira do Hospital, cujo I Capitulo de Entronização está agendado para o próximo domingo. Os bolos fintos, os matrucos, a aguardente de pêra e, a estrela da companhia, o Licor de Café são os artigos que esta nova confraria se propõe defender, sob o lema “a preservação de algumas memórias gastronómicas dos Ervedalenses.

“O Licor de Café não temos ideia que seja tradicional noutros locais. Não encontramos, a não ser aqui em Ervedal. Tentámos determinar a sua origem, mas revelou-se impossível. O que sabemos é que existe em todas as casas daqui e que antigamente, principalmente, pela Páscoa ia-se de casa em casa para provar os bolos e o licor de café. É uma bebida que diz muito a todos os Ervedalenses”, conta Esmeralda Pombo Albuquerque, uma das mentoras do projecto, ressalvando igualmente o matruco, um bolo com origem no Ervedal e o bolo finto. Este último servia inicialmente para “as mães levarem um miminho para os filhos” quando coziam o pão (deixavam um pouco de massa à qual juntavam ovos e outros ingredientes). Sem esquecer a aguardente de pêra. “Queremos preservar e divulgar esta tradição e o próximo passo passa por certificar estes produtos”, explica.

Nasceu uma Confraria para preservar memórias gastronómicas dos ErvedalensesCuriosamente, o vestuário oficial da confraria é baseado no medronheiro, dado que esta árvore terá estado na origem do nome da localidade. “Havia muitos terrenos com medronheiros que chamavam de ervedos, e daí surgir o nome de Ervedal. O nosso vestuário conta com uma capa verde que simboliza as folhas, enquanto o chapéu é vermelho em homenagem ao fruto”.

O primeiro capítulo de Entronização vai contar com 12 elementos, apadrinhados pela Confraria do Queijo da Serra, também do concelho de Oliveira do Hospital, e por Santo André que passa a acumular o cargo de padroeiro da localidade com o de padroeiro da nova confraria. Daí que os novos capítulos de Entronização se passem a realizar anualmente a 30 de Novembro, dia destinado a homenagear o Santo. Será nesse dia que os novos elementos propostos e aprovados se tornam novos confrades.

A cerimónia de domingo conta com alguns eventos. Começa, pelas 15h00, com a sessão solene no Teatro da Sociedade Recreativa Ervedalense, de Entronização dos Confrades. Segue-se um momento musical, no qual não deverá faltar o hino da Confraria, para terminar com um desfile e foto de família.

LEIA TAMBÉM

Assessor do candidato do PS, Henrique Barreto, insultou de “forma obscena” cabeça de lista do PSD-CDS/PP

O líder do partido Chega em Oliveira do Hospital conta o que se passou, no …

A angústia de um produtor oliveirense de queijo Serra da Estrela DOP que pondera abandonar a actividade no final do ano

O pastor Paulo Rogério é um dos maiores produtores de queijo da Serra da Estrela …