Home - Opinião - O emprego e o boicote do actual executivo municipal à instalação de empresas em Oliveira do Hospital. Autor: António José Cardoso

O emprego e o boicote do actual executivo municipal à instalação de empresas em Oliveira do Hospital. Autor: António José Cardoso

Já todos percebemos que o assunto principal da campanha eleitoral vai ser o emprego ou a falta dele em Oliveira do Hospital! Nos 12 anos do actual executivo contam-se pelos dedos os empregos criados no privado. Já no Municipio foram dezenas e continua a prometer esses mesmos lugares a centenas de eleitores em troca de votos ou promessas de não participar em outras listas.

Custa a perceber que um concelho que perdeu 20 por cento da sua população em dez anos (os censos virão a dar-me razão) tenha um terço de funcionários a mais na autarquia do que os recomendados, porque as boas práticas aconselhavam uma redução de trabalhadores em percentagem da diminuição de habitantes. Isto é dito não só por mim, mas pelas várias auditorias realizadas ao longo dos anos ao município. É um princípio básico de gestão, mas isso é para quem sabe…

Nestes 12 anos criei, promovi e instalei cerca de 1600 postos de trabalho em Portugal e no exterior em projectos que são conhecidos e facilmente constatáveis através da imprensa e do mundo económico. Também é público que alguns desses projectos poderiam ter vindo para Oliveira do Hospital. Mas existiu um boicote por parte do executivo Partido Socialista e do cooperativismo reinante entre o municipio e alguns empresários que não queriam a evolução dos salários.

Actualmente, lidero e promovo trabalho de forma directa diariamente para cerca de 900 pessoas sendo que cerca de 100 estão no concelho de Oliveira do Hospital, mas há um ano atrás eram cerca de mil! Alguém se lembra? Memória curta de algumas pessoas entre as quais o actual presidente do Municipio José Carlos Alexandrino e respectivo executivo.

Hoje, ri-me para não chorar. Então temos os lotes da zona industrial já todos ocupados segundo diz o candidato do PS José Francisco Rolo? Mas diz também que o seu primeiro desejo se for eleito presidente é instalar uma empresa na zona Industrial da Cordinha! Afinal onde andou este senhor? A dormir durante 12 anos? Conhece o tecido empresarial do concelho? Claro que não.

José Francisco Rolo é o principal responsável pela subsidiodependência de muitos neste concelho, onde promove e fomenta a prática do não trabalho e da vivência à custa de quem trabalha e contribui efectivamente para a sociedade. Boicotou, em conjunto com o executivo de que fez parte, a instalação de uma unidade industrial nesse espaço que poderia ter criado 250 postos de trabalho directos. Acabou por ser instalada no vizinho concelho de Nelas e inaugurada por mim e pelo Ministro das Infra-estruturas, Pedro Marques, do Governo do Partido Socialista, em 3 Maio de 2017, conforme é publico.

Houve, entretanto, mais projectos para esse espaço que tiveram a mesma sorte: o boicote. Ninguém acredita seguramente que estejam todos os lotes da Zona Industrial de Oliveira do Hospital ocupados. Porque razão não indicou o candidato socialista o número de postos de trabalho a criar? É por esse valor que se mede a empregabilidade. Com número de empregos a criar nesse espaço. Será que esses lotes vão servir para especulação imobiliária como outros no passado? Fica a pergunta.

Bem, duas coisas serão certas caso eu mereça a confiança dos oliveirenses como Presidente da Camara de Oliveira do Hospital nas eleições autárquicas deste ano: o municipio terá de reduzir o número de funcionários em um terço e as futuras contratações serão realizadas por mérito e não por laços familiares ou pagamento de favores políticos! Outro compromisso é a promoção e criação de 1500 postos de trabalho no concelho de Oliveira do Hospital em quatro anos.

 

 

Autor: António José Cardoso, candidato do Chega à presidência da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital.

 

 

LEIA TAMBÉM

“Com a fusão das Caixas de Crédito Agrícola, Oliveira do Hospital perderá um dos maiores ativos criados pelos oliveirenses após o 25 de Abril”, diz Nuno Tavares Pereira

Nuno Tavares Pereira mostrou-se hoje muito critico pela forma como foi conduzido o processo de …

Caixa Agrícola de Oliveira do Hospital: “Sentença de Morte” levantada – Sim!  – “Sentença de Morte” adiada – Não! Autor: João Dinis, Jano

A pretexto da pandemia, foi adiada para data a marcar mais oportunamente, a Assembleia Geral …