Home - Região - Oliveira do Hospital - Oliveira do Hospital com 13 casos positivos, duas cadeias de transmissão e 48 pessoas em vigilância activa

Oliveira do Hospital com 13 casos positivos, duas cadeias de transmissão e 48 pessoas em vigilância activa

O Concelho de Oliveira do Hospital conta com 13 casos confirmados de COVD-19 e 48 casos em vigilância activa, bem como duas cadeias de transmissão que estão a preocupar os responsáveis locais. Estas noticias foram divulgadas pelo presidente da autarquia, a um conjunto de órgãos de comunicação locais seleccionados, onde lamentou o facto do número de casos concelhios não baterem certo com os dados da DGS. José Carlos Alexandrino voltou ainda a criticar as concentrações nas grandes superfícies e as filas para registarem jogos da Santa Casa.

“Não tenho vindo falar porque não se tem justificado, só na sexta-feira é que tivemos um aumento ligeiro”, frisou o  autarca, sublinhando que a sua equipa está seguir os pacientes. “Estão a ser acompanhados pela nossa equipa da COVID-19. Ontem tínhamos onze casos, mas entraram mais dois. Todos os dias falamos com eles”, reconheceu, sem esconder que existem aspectos que o deixam apreensivos, apesar de o período da Páscoa ter corrido bem com os visitantes “a cumprir a quarentena”.

“Ainda não tivemos o pico e estamos precupados com a cadeia de transmissão das pessoas que vieram de Mangualde e estamos também a tentar perceber a cadeia de transmissão de este último caso que ainda não foi identificada. Não sabemos de onde surgiu este último caso”, disse, adiantando também que existem aspectos positivos e algumas pessoas já vão realizar casos para verificar se estão curados.

O autarca recusou-se a dizer as freguesias dos infectados, limitando-se a adiantar que sete são da cidade de Oliveira do Hospital , dois casos numa outra freguesia e um outro numa terceira. Os restantes encontram-se hospitalizados. “Não vou dizer, porque depois cria-se especulação”, disse, voltando a criticar os ajuntamentos nas grandes superfícies que obrigam a apelar à GNR, mostrando-se  ainda contra as casas de jogos que criam filas enormes para jogarem. “Muitas vezes pessoas em idades de risco”, concluiu.

LEIA TAMBÉM

Oliveira do Hospital com praias para receber 760 banhistas, com Avô a liderar com 410 espaços

O Governo publicou hoje a capacidade de ocupação das praias para a época balnear 2021 …

Bebé nasceu na ambulância dos Bombeiros Voluntários de Lagares da Beira

Os Bombeiros Voluntários de Lagares da Beira auxiliaram hoje o nascimento de uma criança quando …